Portal SB24Horas

Conteúdo é aqui!

Região de Campinas apresenta queda de infecções por covid-19, mas número de internações permanece elevado

Foto: Rovena Rosa / Agência Brasil

Internações ainda superam volume registrado no 1º pico da doença, mostra nota do Observatório PUC-Campinas

O Departamento Regional de Saúde de Campinas (DRS-Campinas), que integra 42 municípios, registrou, de 4 a 10 de julho – período correspondente à 27ª Semana Epidemiológica –, 1.321 novas internações por covid-19. O número, apesar de indicar queda em relação à semana anterior, supera o volume de julho de 2020, quando a doença exibiu seu primeiro pico na região. Naquela ocasião, a média de pacientes internados era de 1.220.

A informação, destacada em nota técnica do Observatório PUC-Campinas, reforça a necessidade de manutenção das medidas de prevenção, mesmo com as melhorias dos índices verificadas nas últimas semanas. De 4 a 10 de julho, as infecções pelo coronavírus caíram 8% no DRS-Campinas. As mortes tiveram variação negativa de 16%. O mesmo comportamento foi observado na Região Metropolitana de Campinas (RMC) e na cidade de Campinas. (VEJA NOTA COMPLETA)

“Ainda assim, vale ressaltar, seguimos em um patamar bem elevado, acima do pico da primeira onda. A pressão sobre o sistema de saúde ainda é alta, sobretudo no serviço público, cuja taxa de ocupação de leitos intensivos segue próxima de 98%. Nos hospitais privados, esse percentual cai para 78 %”, afirma o infectologista da PUC-Campinas André Giglio Bueno.

Feitas a ressalvas, Giglio comemora o sucesso atual da campanha de vacinação. Em Campinas, 31 mil doses foram aplicadas no dia 9 de julho. Com isso, o município tem mais de 47% da população vacinada com a primeira dose. Cerca de 15% está completamente imunizada. “É preciso exaltar e celebrar esses números, mas sem esquecer dos cuidados diários de prevenção, que também são de extrema importância para combater a pandemia”, complementa.

Para o Prof. Paulo Oliveira, economista que coordena as análises referentes ao coronavírus pelo Observatório, o avanço na vacinação também melhora as expectativas de retomada econômica. “É preciso observar, no entanto, que qualquer crescimento sustentado e de longo prazo precisa ser acompanhado pelo avanço efetivo do emprego e da renda. Na RMC, a criação de novas vagas de trabalho tem desacelerado desde abril”, salienta o docente extensionista.

Os dados atualizados da covid-19 nos municípios paulistas, incluindo a RMC, podem ser obtidos no Painel Interativo do Observatório: https://observatorio.puc-campinas.edu.br/covid-19/.

 

DA PUC CAMPINAS