Portal SB24Horas

Conteúdo é aqui!

Qual o melhor tratamento para cicatrizes?

* por Rodrigo Ferrarese

Dependendo do tipo de cicatriz, ela nunca desaparecerá completamente. Existem, no entanto, alguns métodos que podem ajudar a reduzir seu tamanho e alterar sua aparência.

A pele é um órgão perfeito, como um tecido fino que protege bens valiosos. No entanto, como acontece com os tecidos, um corte ou outro tipo de agressão pode transformar a aparência da peça. Da mesma forma, qualquer queimadura, lesão ou outro trauma, como uma cirurgia, por exemplo, pode causar uma cicatriz.

Mulheres costumam ter cicatrizes, seja de cesárea, episiotomia ou de alguma outra cirurgia. Por vezes, essas cicatrizes ficam com aspecto retraído, cheio de aderências, levando a uma alteração na estética corporal. Essa distrofia cicatricial leva algumas pacientes a apresentar o que chamamos de distorção de imagem corporal, o que pode resultar em sintomas depressivos.

Como se forma uma cicatriz?

A cicatriz é uma parte natural do processo de cicatrização após uma lesão. Seu aparecimento e seu tratamento dependem de múltiplos fatores.

A profundidade e o tamanho da ferida ou corte e a localização da lesão são importantes. O mesmo acontece com idade, genética, gênero e etnia da pessoa – sim, todos esses fatores influenciam no processo de cicatrização e na aparência das cicatrizes.

Quais são os tipos de cicatrizes?

Existem vários tipos diferentes, incluindo:

Cicatrizes quelóides

Essas cicatrizes são o resultado de um processo de cicatrização excessivamente agressivo. Eles se estendem além da lesão original. Com o tempo, uma cicatriz queloide pode dificultar até os movimentos da área na qual está presente.

Cicatrizes de contratura

Se sua pele foi queimada, você pode ter uma cicatriz de contratura. Essas cicatrizes costumam “reter” a pele, o que pode prejudicar a capacidade de movimento na região. Elas também podem ser mais profundas, afetando músculos e nervos.

Cicatrizes hipertróficas

São cicatrizes elevadas e vermelhas, semelhantes aos quelóides, mas não ultrapassam os limites da lesão. Esse tipo de cicatriz surge devido a produção aumentada e desorganizada de colágeno cicatricial.

Quais são os tratamentos para cicatrizes?

Os tratamentos podem incluir: Cremes, pomadas ou géis

Esses produtos podem ser usados para tratar cicatrizes causadas por cortes ou outras lesões ou feridas. Frequentemente, os tratamentos podem incluir esteróides ou certos anti-histamínicos orais para cicatrizes que causam coceira e são muito sensíveis. Seu médico também pode recomendar ou usar um tratamento de pressão ou uma camada de gel de silicone para ajudar a tratar a cicatriz ou como cuidados preventivos.

Remoção ou tratamento cirúrgico

Existem muitas opções para tratar cicatrizes mais profundas, dependendo do caso. Isso inclui enxertos de pele, excisão, dermoabrasão ou cirurgia a laser. Em um enxerto de pele, o cirurgião usa pele de outra área do corpo. Isso geralmente é usado com pessoas que tiveram queimaduras. Se você tem cicatrizes que prejudicam a função, a cirurgia pode ajudar a resolver os problemas funcionais. Se você fez recentemente uma cirurgia que causou cicatrizes, é melhor esperar pelo menos um ano antes de tomar uma decisão sobre o tratamento da cicatriz. Muitas cicatrizes desaparecem e se tornam menos perceptíveis com o tempo.

Injeções

Você pode receber injeções de esteróides para tratar cicatrizes salientes, como queloides ou cicatrizes hipertróficas. O seu médico pode usar esse método sozinho ou juntamente com outros tratamentos.

Sobre Dr. Rodrigo Ferrarese

O especialista é formado pela Universidade São Francisco, em Bragança Paulista. Fez residência médica em São Paulo, em ginecologia e obstetrícia no Hospital do Servidor Público Estadual. Atua em cirurgias ginecológicas, cirurgias vaginais, uroginecologia, videocirurgias; (cistos, endometriose), histeroscopias; ( pólipos, miomas), doenças do trato genital inferior (HPV), estética genital (laser, radiofrequência, peeling, ninfoplastia), uroginecologia (bexiga caída, prolapso genital, incontinência urinaria) e hormonal (implantes hormonais, chip de beleza, menstruação, pílulas, Diu…).  Mais informações podem ser obtidas pelo perfil @dr.rodrigoferrarese ou  pelo site https://drrodrigoferrarese.com.br/