Portal SB24Horas

Conteúdo é aqui!

Variedades

Quais as diferenças dos fundos de pensão para outros fundos de investimento?

O brasileiro está começando a ganhar um conhecimento mais abrangente sobre o mercado de investimentos. Com a aprovação da Reforma da Previdência e a instabilidade econômica do país, muitas pessoas querem buscar alternativas a longo prazo já pensando no futuro. Duas boas opções de investimentos são os fundos de pensão privados e os fundos de investimentos.

Aqui neste artigo, vamos mostrar quais são as peculiaridades e diferenças de cada tipo de investimento para lhe ajudar a montar um planejamento assertivo de longo prazo. O futuro pode ser incerto, mas é importante tentar prevê-lo, até porque há muitas alternativas que rendem acima da poupança e que realmente fazem seu dinheiro render.

Enfim, para deixar o dinheiro parado na poupança, é melhor optar por investimentos que representem algum ganho real, não é mesmo? Com a desvalorização da poupança e as regras rígidas para a aposentadoria, a saída de muitos brasileiros serão os investimentos em fundos de pensão, fundos de investimentos, ações, títulos de renda fixa, entre outros.

Como o intuito deste artigo é comparar e tirar dúvidas sobre fundos de pensão e fundos de investimentos, é preciso apresentar ambos os ativos para que você comece a entender as suas diferenças, então vamos lá!

O que são fundos de pensão?

Os fundos de pensão são planos de previdência privada fechada. Diferente dos planos de previdência aberta como PGBL ou VGBL, os fundos de pensão são planos coletivos, mantidos por empresas, sindicatos ou associações.

Como benefício, muitas empresas e sindicatos de diversos setores estão aderindo a fundos de pensão e oferecendo-os para seus colaboradores. Assim, as contribuições previdenciárias são descontadas na folha de pagamento e investidas no fundo de pensão. Os funcionários também podem investir valores no fundo por conta própria.

Para quem tem uma carreira consolidada em alguma empresa, os fundos de pensão são uma ótima alternativa de investimento para formar a aposentadoria complementar. Isso porque quem trabalha em regime CLT também terá os descontos referentes à aposentadoria pública pelo INSS.

Os valores dos fundos de pensão são investidos em mercados de renda fixa e variável, o que faz com que o montante possa render bastante perante a outros tipos de investimentos.

O que são fundos de investimentos?

Os fundos de investimentos são uma espécie de concentração de ativos. Nele, são distribuídas cotas para diversos investidores e cada um deles faz parte e com os valores aplicados formam o patrimônio do fundo. Cada investidor tem direito a uma parte dos rendimentos, de acordo com a sua participação por meio das cotas.

Uma característica que traz mais segurança a esse tipo de investimento é que os fundos de investimento são formados por diversos ativos, os seus gestores costumam apostar em diferentes investimentos, desde ações a títulos de renda fixa. Dessa forma, é possível diminuir os riscos, já que a queda de algum ativo pode ser coberta pela valorização de outros.

Existem opções de fundos de investimentos mais conservadores e mais agressivos, fazendo com que esse tipo de investimento possa atender a diferentes objetivos e perfis de investidores.

Fundos de pensão x Fundos de investimento

Em sua essência, fundos de pensão e fundos de investimento têm características diferentes. Os fundos de pensão são planos de previdência privada e tem como grande foco, o acúmulo de dinheiro a longo prazo. Já os fundos de investimentos são uma espécie de condomínio de investidores que visam aplicar dinheiro em outros ativos e se resguardar no mercado de ações.

Taxas

Em relação às taxas cobradas por estes investimentos, o que podemos dizer é que há um empate. Os fundos de pensão são planos mantidos por instituições sem fins lucrativos e por serem coletivos oferecem uma taxa de administração mais barata e reverte toda a rentabilidade obtida para o participante do fundo.

Os fundos de investimentos também possuem uma taxa de administração baixa em comparação com outros ativos do mercado de renda variável. Não há muita diferença de valores de taxas cobradas por ambos no mercado atual.

Tributação

Em relação a tributação, podemos dizer que os fundos de pensão levam vantagem em relação aos fundos de investimentos. Isso porque os fundos de pensão, caso o contribuinte opte pela tabela regressiva a uma alíquota de 10% de IR (Imposto de Renda) no longo prazo, que é cobrada apenas na hora do resgate do valor.

Já os fundos de investimentos sofrem mais com a tributação, principalmente por conta do chamado come-cotas, que desconta cerca de 15% do montante aplicado em todos os semestres, o que diminui consideravelmente a rentabilidade do investimento.

Riscos

Em relação aos riscos, a principal diferença está na característica de cada fundo. Existem fundos de investimentos para diversos perfis de investidores, entre eles para os mais agressivos, e claro, quanto maior a busca por rentabilidade, maior é o risco.

De certa forma, nos fundos de pensão também acontece isso, mas de maneira mais moderada. Sempre há uma porcentagem aplicada em renda variável e outra em renda fixa na tentativa de gerar um equilíbrio entre rentabilidade e segurança.

Rentabilidade

Em relação à rentabilidade, o fato é que para quem mira o longo prazo, os fundos de pensão são bem mais interessantes. Os fundos de investimentos podem gerar bastante lucro no curto prazo já que possuem liquidez facilitada.