Portal SB24Horas

Conteúdo é aqui!

Promotora da Stock Car, Vicar e CBA anunciam Fórmula 4 no Brasil

A Vicar anunciou a realização do Fórmula 4 Brasil Certificado pela FIA em 2022 (Divulgação)

Usando carros de última geração e ainda inéditos, iniciativa cria escola fundamental para formação de novos talentos no país

 

Principal empresa do automobilismo brasileiro e promotora da Stock Car Pro Series, a Vicar anunciou a realização do Fórmula 4 Brasil Certificado pela FIA a partir de 2022. O acordo foi assinado em agosto na Itália por Fernando Julianelli, CEO da Vicar, e Gianfranco De Bellis, presidente da Tatuus, fabricante oficial dos carros e licenciada pela Federação Internacional do Automóvel (FIA). O novo campeonato terá supervisão da Confederação Brasileira de Automobilismo (CBA), cujo presidente, Giovanni Guerra, foi o responsável por elaborar todo o projeto da categoria nacional junto à FIA, etapa necessária que antecedeu as fases comerciais e logísticas.
“A Fórmula 4 foi criada pela FIA para ser o primeiro passo de jovens pilotos que saem do kart rumo à Fórmula 1 e precisam de uma categoria que dê continuidade ao aprendizado, ao mesmo tempo em que os desenvolve nas questões profissionais do esporte”, explica Fernando Julianelli.

Categoria será importante para a formação de novos talentos no País (Divulgação)

Formação de pilotos – “Havia uma importante lacuna na escala de formação de pilotos no automobilismo brasileiro em termos de continuidade de carreira, que agora estaremos preenchendo, inclusive com um carro tão novo que só estreará mundialmente em 2022. Outro ponto importante era termos aqui o mesmo equipamento usado nos principais centros do automobilismo internacional. O nosso objetivo é incentivar novos talentos e dar aos nossos kartistas a oportunidade de serem preparados para competir em alto nível sem terem que morar muito jovens no exterior”, continua o CEO da Vicar.
“Particularmente eu estou muito feliz, por que de uma conversa entre a CBA e a Vicar, na etapa da Stock Car realizada em Goiânia, no primeiro semestre, tenha nascido a oportunidade de falarmos diretamente com o Gianfranco De Bellis”, diz Giovanni Guerra, presidente da CBA.
“Na ocasião a Vicar abraçou a ideia de imediato e, hoje, vendo mais este resultado do nosso empenho, é sem dúvida uma satisfação enorme. Temos a sensação de estarmos realizando o que nós viemos para fazer nessa gestão da CBA. Estou realmente feliz pelo fato de o Brasil estar preenchendo essa lacuna. E mais feliz ainda por estarmos adequando o país ao que há de mais moderno e competente no automobilismo mundial em termos de preparação de pilotos para o futuro”, completa o dirigente.

Chassi: nova geração – A Fórmula 4 Brasil utilizará o modelo F4 T-021, segunda e ainda inédita geração do chassi fabricado pela italiana Tatuus, que deve estrear mundialmente a partir de 2022. Com um projeto orientado pelas novas especificações de segurança da FIA, os 16 carros que serão trazidos ao Brasil são dotados inclusive do halo, equipamento introduzido em 2016 pela entidade em suas principais categorias de monopostos e que desde então foi responsável por evitar ferimentos graves em dezenas de acidentes.
O motor será o Abarth-Autotecnica 1.4, com 176cv de potência e câmbio da especialista francesa SADEV de seis marchas, acionado por sistema de borboletas e eletrônica Magneti-Marelli. Os pneus serão importados, produzidos especialmente pela Pirelli.
Piloto experiente, Campeão Mundial de Kart FIA (1995) e um bem-sucedido manager da carreira de pilotos profissionais, Gastão Fráguas Filho foi apontado pela Vicar como líder do projeto. Outro aspecto importante é que, além do nome oficial incluir o selo FIA, o novo campeonato mostra sua relação direta com os projetos da entidade máxima do esporte ao conceder ao seu campeão 12 dos 40 pontos necessários para o ranking que indica os competidores habilitados a disputar o Mundial de Fórmula 1.

3 mil km ao volante – Com seis etapas compostas de três corridas cada uma, o Fórmula 4 Brasil Certificado pela FIA competirá dentro do evento promovido para a Stock Car Pro Series, o maior da América Latina. As corridas terão transmissão ao vivo pelo canal BandSports, Motorsport.tv e mídias da Stock Car (Facebook e Youtube). “Os pilotos disputarão 18 provas, além de treinos e classificatórios, totalizando cerca de 3 mil km ao longo da temporada”, detalha Julianelli.
Segundo o executivo, o projeto inclui ainda uma academia formada por especialistas que instruirão os pilotos sobre temas importantes da profissão, como noções de marketing, media training, redes sociais, mecânica e eletrônica automotivas, interpretação de dados, relacionamento com a equipe, interação com engenheiros de vários campos, entre vários outros campos de aprendizado.

Categoria será importante para a formação de novos talentos no País
(Divulgação)
O modelo a ser utilizado no Brasil estreará mundialmente em 2022
(Divulgação)

Ficha técnica
Chassi
Tatuus F4 T-021, produzido na Itália

Motor
Abarth-Autotecnica (Itália), 4 cilindros em linha, 1.370cm3, turboalimentado, duplo comando de válvulas, gerenciamento ECU Marelli SRG-141, 176cv a 5.500rpm e 250 Nm a 4.000 rpm

Transmissão
Fabricada pela Tatuus e SADEV. Transversal, seis marchas + ré. Engates via borboleta no volante Tatuus/Next Solution.

Segurança
Especificações FIA. Célula de sobrevivência com painéis anti-intrusão, ladeada por espuma de absorção de impacto. Halo Tatuus, estruturas de absorção de impacto dianteira e traseira, proteção de cabeça e pés removíveis, assento extraível em caso de acidente, extintor de incêndio operado eletronicamente, cabos de retenção de rodas, célula de combustível padrão FIA.

Suspensão
Dianteira e traseira: tipo pushrod, triângulos duplos sobrepostos, amortecedores duplos ajustáveis, molas Eibach de 36mm.

Freios
Pinças de quatro pistões, discos ventilados

Rodas
OZ de alumínio 8×13 pol (dianteiras) e 10×13 pol (traseiras)

Pneus
Pirelli, medidas: 200/540-13 (dianteiros) e 250/575-13 (traseiros). Versões: slick (P Zero) e chuva (Cinturato)

Carenagem
Fibra de carbono com reforços de kevlar, asas padrão FIA ajustáveis. Asa de suporte (inferior) ajustável. Placa anti-impacto de 10mm e placa antiderrapagem de 5mm sob o chassi.

Aerodinâmica
Superfícies e refrigeração otimizadas por CFD (computational fluid dynamics).
Regulagem das entradas de refrigeração e extração de ar. “Mapa” aerodinâmico para regulagem das asas dianteira e traseira, gurney e altura em relação ao solo à frente e atrás

Monitoramento de dados para acerto
Pressão do freio dianteiro e traseiro, giro da direção, velocidade das rodas dianteiras, nível de aceleração, câmbio, entre outros. Todos os principais parâmetros disponíveis no display do volante