PF prende madeireiro que responde por cerca de R$47 mi de multas ambientais

Belém/PA – Polícia Federal com o apoio do Ibama e da Força Nacional prendeu ontem (23) um madeireiro conhecido como “Castanha” no município de Novo Progresso, região oeste do estado do Pará. Trata-se do maior devastador da floresta amazônica.

A prisão ocorreu na residência de “Castanha”. A prisão preventiva foi decretada pela Justiça Federal de Itaituba por ação movida pelo Ministério Público do Pará.

A prisão do madeireiro ocorreu durante a Operação Castanheira deflagrada pela Polícia Federal com o apoio do Ministério Público Federal, da Receita Federal e do Ibama, que desarticulou uma quadrilha de grileiros que operava na região da BR 163, no estado do Pará, respondendo por 20% de todo o desmatamento da Amazônia.

A prisão do madeireiro, que também é grileiro na Amazônia é o maior marco representativo das ações de combate ao desmatamento no oeste do Pará.

O madeireiro vinha atuando na BR 163 invadindo terras da União, promovendo o desmatamento e comercializando ilegalmente as terras furtadas. O grileiro e sua família responde por quase R$ 47 milhões em multas ambientais, sem contar com os autos de infração em nome dos demais membros da quadrilha.

O madeireiro será julgado pela Justiça Federal e poderá receber pena de mais de 46 anos de prisão pelos diversos crimes cometidos, tais como desmatamento ilegal, formação de quadrilha, lavagem de dinheiro, uso de documentos falsos, além de outros.

“Castanha” será recolhido ao Sistema Penal do estado onde ficará à disposição da Justiça Federal.

 

Comunicação Social da PF no Pará

Comentários

Notícias relacionadas