fbpx

Portal SB24Horas

Conteúdo é aqui!

Santa Bárbara d´Oeste

Pesquisa temática do CEDOC da Fundação Romi traz história de Dante Tortelli

Todo barbarense já ouviu o nome Dante Tortelli, pois é a denominação de uma rua que se localiza na área central da cidade com início na rua 13 de maio e término no cruzamento com a rua General Osório. Mas você sabe quem foi Dante Tortelli? Nesse mês de novembro faz 73 anos do falecimento desse barbarense e a equipe de assistentes de documentação do Centro de Documentação Histórica- CEDOC da Fundação Romi José Fernando Fonseca de Rezende e Wander Luís de Oliveira realizaram um levantamento de fontes para publicar na área temática do site do CEDOC da Fundação Romi a história de Dante Tortelli, alguns áudios e vídeos para que o leitor possa conhecer a trajetória desse barbarense.

 

Segundo as pesquisas Dante Tortelli nasceu em Santa Bárbara d’Oeste, em 28 de março de 1896, na casa de número 45 da rua XV de Novembro, na área central do município. Era filho do comerciante de secos e molhados, Pedro Tortelli e de Maria Domênica Francchi Tortelli. Viveu toda sua vida em Santa Bárbara. Era sapateiro de profissão, ofício que exerceu por toda sua vida, mas a música era seu verdadeiro talento.

 

Viveu toda sua vida em Santa Bárbara, sendo, de acordo com depoimentos de pessoas que conviveram com ele, extremamente bairrista. “Segundo Mario Benith, amigo de Dante na juventude, seu apego pela cidade natal era tanto que, em conversas com amigos, sempre dizia que aquela era a ‘melhor cidade do mundo’. Ainda de acordo com as lembranças de Benith, Dante nunca fora ambicioso, assinalando para exemplificar esse traço de personalidade do músico, que o mesmo ‘nasceu na rua XV de Novembro e morreu na rua XV de Novembro’. Outro aspecto que ressaltava essa falta de ambição e a pouca importância dada para os ganhos materiais e o ‘sucesso’, era o fato de que Dante, apesar de exímio musicista, jamais explorou esse talento com vistas a ganhos pessoais”, fala a coordenadora do Centro de Documentação Histórica da Fundação Romi Sandra Edilene de Souza Barboza.

 

Nas lembranças dos seus contemporâneos, está a figura de Dante Tortelli como o melhor músico de Santa Bárbara d’Oeste de sua época, um artista capaz de compor letras, arranjos, melodias para diversos instrumentos, além de organizar, ensaiar e reger bandas, orquestras e grupos de seresta. Envolvido no mundo das artes, Dante fundou, junto de outras pessoas, os clubes União Operária e Barbarense, além de ter organizado o que foi a primeira (ou no mínimo uma das primeiras) banda de jazz de Santa Bárbara, a “Jazz-Band Barbarense”. Dos conjuntos musicais dos quais participou, sempre como líder, procurava realizar apresentações em clubes locais mesmo sem combinar cachê para ele ou para os outros músicos.

 

Além da paixão pela música, pelas óperas, serestas e aos instrumentos, Dante também se aventurou no futebol, chegando a jogar pelo time do União Barbarense, ainda antes da fase do clube no futebol profissional. O músico morreu aos 51 anos de idade, no dia 4 de novembro de 1947, de acordo com depoimentos de contemporâneos, o primeiro velório e enterro na cidade a ser acompanhado por banda de música, nessa ocasião, a Corporação Musical União Barbarense.

 

Acesse a área temática do CEDOC e conheça mais sobre Dante Tortelli através de textos, fotos, áudios e vídeos com depoimentos colhidos em 1992 de Tom Leite, José Leite de Godoy, Aracy Tortelli, Nor Major e Zé do Dante.

 

https://fundacaoromi.org.br/fundacao/index.php?pag=padrao&op=cedoc&id=3657&op2=not&cat=pesquisa-tematica

 

 

 

Sobre o CEDOC

O Centro de Documentação Histórica da Fundação Romi é um espaço vivo de preservação da história, que além de resgatar todo o passado histórico de Santa Bárbara d’Oeste e região, atua na guarda, conservação e disponibilização do acervo da Fundação Romi e da Indústrias Romi – com destaque para o acervo do Romi-Isetta. Além de um espaço expositivo vivaz e dinâmico, o CEDOC realiza o projeto de Educação Patrimonial para crianças e adolescentes, realiza o Processamento Técnico de todos os documentos recebidos e ainda recebe exposições e palestras, promove visitas monitoradas e técnicas, oficinas de capacitação e experimentação. O CEDOC está localizado na Avenida João Ometto, 200, Jd. Panambi, em Santa Bárbara d´Oeste. (19) 3499-1558. www.fundacaoromi.org.br/cedoc.

Sobre a Fundação Romi

Seu legado iniciou em 1957, em Santa Bárbara d’Oeste, pelo casal Américo Emílio Romi e Olímpia Gelli Romi. Tendo como missão promover o desenvolvimento social e humano através da educação e cultura, a Fundação Romi é pioneira na promoção da comunidade regional e na realização de ações sociais, beneficiando mais de 30 mil pessoas, por ano, através de seus dois grandes eixos: Educação e Cultura. Mantenedora do Núcleo de Educação Integrada, sua escola de Educação Infantil, Ensino Fundamental e Médio, oportuniza a formação integral, autônoma e protagonista de crianças, adolescentes e jovens. Além disso, promove, por meio de seu Centro de Documentação Histórica, projetos de educação patrimonial para crianças do Ensino Fundamental I, para reconhecimento e conhecimento da história local como elemento de cultura e cidadania. Somado a isso, seu Centro de Documentação Histórica também realiza o Processamento Técnico da memória do município para guarda, preservação e disponibilização do acervo à população para consulta e pesquisa. Dentre as unidades da Fundação Romi também está a Estação Cultural de Santa Bárbara d´Oeste que, por meio de oficinas livres, culturais e de formação, projetos de fomento à economia criativa, de elevação do status cultural e de ações socioeducativas atende milhares de pessoas por ano. A Fundação Romi está localizada à Avenida João Ometto, 200, Jd. Panambi, em Santa Bárbara d´Oeste. (19) 3499-1555. www.fundacaoromi.org.br.

Comentários