fbpx

Portal SB24Horas

Conteúdo é aqui!

Pesquisa do ISCA Faculdades mostra que 60% dos universitários preferem comprar pela internet


Estudo foi realizado por aluno do Programa de Iniciação Científica

 

 

Um estudo realizado pelo aluno Matheus Tomé Neres da Silva para o Programa de Iniciação Científica (PIC) do ISCA Faculdades apontou que 59,9% dos universitários preferem realizar suas compras pela internet, contra 40,1% que ainda optam pelas lojas tradicionais. “Este dado é particularmente importante, pois revela que, para os jovens universitários, já há maior preferência em comprar pela rede mundial de computadores do que em ir até as lojas físicas”, analisa o professor Marcelo Zambon, que orientou o trabalho.

 

A pesquisa foi realizada com 200 estudantes de nível superior, de setembro a dezembro de 2015. O objetivo de Matheus, que cursa Administração, neste estudo, foi saber os motivos que levam os clientes – neste caso, universitários – a realizar suas compras no varejo eletrônico.

 

Entre os fatores que motivam os universitários a optar pela internet na hora da compra, o mais citado é o preço (58,8%). A variedade de produtos (20,7%) e satisfação e segurança com compras anteriores (12,7%) aparecem em seguida. Para realizar o pagamento, 58,8% dos entrevistados disseram optar pelo cartão de crédito, contra 21,6% que dão preferência pela função débito em conta corrente.

 

Os produtos mais adquiridos pela internet são celulares e outros itens de telefonia (25,5%), outros eletrônicos (17,7%) e cosméticos e perfumaria (16%). “Outra constatação bastante importante da pesquisa, e que deve servir de alerta para o atendimento prestado nas lojas físicas, é que 70,6% dos pesquisados declararam que ficam sempre satisfeitos ao comprar pela internet”, avalia Zambon.

 

“Nesse estudo, confirmamos a impressão de que a internet está se consolidando como o canal de varejo preferido do estrato da sociedade enfocado”, afirma o orientador. No universo abordado na pesquisa, a maioria é de mulheres (64,7%) e tem entre 21 e 23 anos (37,3%). Quanto ao poder econômico dos entrevistados, foi constatado que 47,1% deles possuem renda familiar entre 1 e 3 salários mínimos, valor compreendido entre R$ 880,00 e R$ 2.340,00.

 

Assessoria de imprensa

Comentários

Dennis Moraes