Passeata promete tomar as ruas de Piracicaba, nesta terça-feira, em manifesto nacional dos trabalhadores

Foto: Dennis Moraes  Manifestação das centrais sindicais realizada em janeiro na AV. Paulista em São Paulo.

Manifesto nacional dos trabalhadores que acontece nesta terça-feira, 31 de março, promete tomar as ruas centrais de Piracicaba, no período da manhã, em passeata que partirá da Estação da Paulista e se dirigirá até a Praça José Bonifácio. A manifestação começa às 9 horas, com concentração na Estação da Paulista (avenida Dr. Paulo de Moraes) de onde parte a passeata, a partir das 10 horas, reunindo trabalhadores e dirigentes sindicais de diversos estados brasileiros, e tem o apoio do Escritório Regional da Força Sindical e do Conespi (Conselho das Entidades Sindicais de Piracicaba).

O manifesto tem a participação de todas as centrais sindicais do País, Sindicato Nacional dos Aposentados da Força Sindical (Sindnap) e as associações de aposentados do Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Rio de Janeiro, Bahia, Sergipe, Alagoas e a Federação dos Aposentados de São Paulo, da Confederação Nacional dos Aposentados (Cobap), além das Associações Ecléticas dos Aposentados e Pensionistas de Piracicaba e dos Metalúrgicos de Piracicaba, que também estão participando ativamente da organização do evento.

Ao longo dos últimos dias, pelo menos 30 mil panfletos e cartazes foram distribuídos na cidade convocando trabalhadores e a sociedade a participarem do manifesto nacional em defesa dos trabalhadores da ativa e aposentados. A passeata percorrerá a rua Governador Pedro de Toledo, passará pela rua XV de Novembro, onde está localizada a Agência do INSS, e se concentrará na Praça José Bonifácio, em frente à Catedral de Santo Antonio, onde acontece ato público.

Fânio Luis Gomes, presidente do Conespi e coordenador regional da Força Sindical, destaca que este manifesto tem a finalidade  de  mostrar a indignação dos trabalhadores e aposentados com medidas que estão sendo tomadas pelo governo federal e por alguns parlamentares, que querem retirar direitos e benefícios da classe trabalhadora. “Esta passeata é histórica em defesa dos nossos direitos. Vamos protestar pelo fim do fator previdenciário, rajuste maior para todos, rejeição das Medidas Provisórias 664 e 665, editadas pelo governo federal no final do ano passado, que retiram direitos e reduzem benefícios dos trabalhadores, além de reafirmar posição em defesa da redução da jornada de trabalho para 40 horas semanais sem redução dos salários, o arquivamento do Projeto de Lei 4330, que trata da regulamentação da terceirização, e pela aprovação da Medida Provisória 4434, do senador Paulo Paim, que estabelece a recuperação das perdas das aposentadorias entre 1991 e 2014”, ressalta.

 

Comentários

Notícias relacionadas