Outubro Rosa: Diagnóstico precoce garante possibilidade de cura de quase 100% em alguns casos de câncer

No Brasil, de acordo com o Inca, estimativa é de 580 mil novos casos de câncer em geral para 2014, sendo mais de 57 mil só de mama

Acompanhamento do Grupo Médico do Carelink oferece segurança e

agilidade como diferenciais aos pacientes com câncer

 

No mundo todo, acontecem em outubro campanhas para destacar a luta contra o câncer de mama, com o objetivo de estimular a população, empresas e entidades a executarem ações de prevenção, ressaltando a importância de certos cuidados para obter o diagnóstico precoce no controle da doença.

Segundo a médica oncologista do Carelink, do Grupo B2 Saúde, Cristina Castella, o câncer é uma doença silenciosa. “Quando surge algum sintoma da doença, geralmente ele já está em estado avançado, por esse motivo, os exames preventivos são tão importantes”, frisa.  “Quanto mais inicialmente a doença for diagnosticada, maiores serão as chances de cura, além de permitir um tratamento menos agressivo.  Nos estados iniciais a possibilidade de cura chega a quase 100%”, afirma.

De acordo com o Inca (Instituto Nacional de Câncer), no Brasil há estimativa de 580 mil novos casos de câncer em geral para 2014, sendo 57.120 casos novos apenas de câncer de mama.

O câncer de mama feminino é o tipo mais frequente nas regiões Sul (71 casos/100 mil), Sudeste (71 casos/100 mil), Centro-Oeste (51 casos/100 mil) e Nordeste (37 casos/100 mil). Na região Norte é o segundo mais incidente (21 casos/100 mil). A incidência em homens é bem rara e representa menos de 1% do total de casos de câncer de mama.

Sintomas

Os principais sinais e sintomas em relação ao câncer de mama são: caroço e/ou inchaço no seio, irritação ou irregularidade na pele, como covinhas ou franzidos, que fazem a pele se assemelhar à casca de uma laranja, dor no mamilo ou inversão do mamilo (para dentro), vermelhidão ou descamação do mamilo ou pele da mama, saída de secreção (que não leite) pelo mamilo e caroço na axila.

As células do corpo humano sofrem mutações devido a fatores hereditários ou ambientais como o uso do álcool, cigarro ou alimentação inadequada. “Se o organismo é saudável estas células são eliminadas, caso contrário, quando o sistema imunológico está alterado, estas células se multiplicam descontroladamente. O tumor maligno de mama tem a sua origem no crescimento desordenado de células no tecido mamário, cujas células malignas têm a capacidade de invadir as células normais ao seu redor e se proliferarem”, explica Cristina. Os principais fatores de risco para o câncer de mama estão relacionados aos aspectos endócrinos, genéticos e idade.

Prevenção

A médica informa que não há uma prevenção direta para o câncer de mama, mas alguns fatores estão relacionados ao aparecimento de tumor maligno, como: ingestão de álcool, alimentação inadequada, sedentarismo, obesidade, idade reprodutiva, histórico familiar, fatores comportamentais e mutações genéticas. “A principal forma de evitá-la é o diagnóstico precoce através do autoexame, exame clínico médico e mamografia”, ressalta Cristina.

Para a prevenção do câncer em geral, as orientações são: não fumar, realizar atividades físicas, fazer sexo seguro, usar protetor solar, realizar diariamente a higiene oral, cuidado com bebidas alcoólicas, ter uma alimentação saudável e fazer exames regularmente.

Grupo de acompanhamento

No Carelink Consultoria em Gestão de Saúde, do grupo B2 Saúde, os pacientes com suspeita ou diagnóstico de câncer, independente do tipo, recebem acompanhamento e orientações sobre a doença, além de esclarecimento de dúvidas e auxílio na solução de pendências, até mesmo administrativas, como por exemplo, para realização de exames, internações, indicações e outros casos.

De acordo com Cristina, são oferecidos suporte e apoio de qualidade para os cerca de 500 pacientes atendidos pelo grupo de oncologia. “Temos uma equipe multidisciplinar para atender as necessidades de cada um, com o objetivo de agilizar e dar seguimento ao tratamento, atrelados a maior segurança, ponto relevante, que influencia muito o lado emocional dos indivíduos”, explicou.

A médica oncologista do Carelink afirma que o fator psicológico é decisivo para o bom andamento dos tratamentos e quanto mais seguro e confiante o paciente estiver, melhor será o resultado. “O trabalho que realizamos agrega diferenciais para os usuários dos planos de saúde e o retorno que obtemos tem sido bastante positivo”, frisou Cristina.

Comentários

Notícias relacionadas