fbpx

Portal SB24Horas

Conteúdo é aqui!

Santa Bárbara d´Oeste

Outubro marca aniversário do historiador barbarense Antonio Bruno de Oliveira

 

Outubro é o mês de aniversário de Antonio Bruno de Oliveira, o um dos historiadores mais importantes de Santa Bárbara d’Oeste. Seu trabalho de pesquisa, coleta de fontes e publicação de seus artigos ocorreram mais intensamente entre os anos de 1940 e final dos anos de 1960. Para apresentar esse personagem tão importante da história barbarense os assistentes de documentação do Centro de documentação Histórica – CEDOC da Fundação Romi, José Fernando Fonseca de Rezende e Wander Luís de Oliveira, realizaram um levantamento de fontes para publicar na área temática do site do CEDOC da Fundação Romi a história de Antonio Bruno de Oliveira, que frequentemente assinava seus artigos como ABO.

Segundo os pesquisadores, Antônio Bruno nasceu no dia 2 de outubro de 1908, em Santa Bárbara d’Oeste e seus pais eram o barbarense José Vicente de Oliveira e a italiana Pasqualina Restani. Estudou no Grupo Escolar José Gabriel de Oliveira e esteve à frente da batalha durante a Revolução Constitucionalista de 1932, junto de outros barbarenses que também se alistaram.

De acordo com o que se escreveu até o presente momento sobre a vida de Antonio Bruno de Oliveira, sabe-se que viveu em Santa Bárbara até quando, “homem feito”, decidiu-se mudar para a capital do Estado para exercer o ofício de marceneiro. “Os que o conheceram contam que, desde cedo, já demonstrava grande curiosidade e apetite para a pesquisa. Por diversas vezes, manifestou em artigos publicados nos jornais barbarenses, sua preocupação com a história da cidade, e tomou providencias para que fosse resgatada. Alguns desses artigos foram recuperados durante a pesquisa e podem ser acessados no site”, explica a coordenadora do CEDOC da Fundação Romi Sandra Edilene de Souza Barboza.

Extremamente dedicado, o historiador fez visitas à Cúria paulistana, aos arquivos do bispado de Piracicaba e de Santos, dentre outros lugares, e por meio desse esforço, foi capaz de traçar uma genealogia inédita da fundadora de Santa Bárbara d’Oeste, Margarida da Graça Martins. Ele foi um dos incentivadores para trazer os restos mortais de Dona Margarida da Graça Martins do cemitério da Consolação em São Paulo para o mausoléu inaugurado em sua homenagem na Praça Central, no dia 4 de dezembro de 1967.

Em 26 de dezembro de 1967, Antonio Bruno faleceu deixando viúva Elvira Leonor de Almeida. Seu legado para a história barbarense não deixou de ser reconhecido na época, tendo sido homenageado nos jornais em artigos de destaque. Parte do seu trabalho de pesquisa compõe as informações encontradas no livro Santa Bárbara Edição Histórica.

Em 4 de dezembro de 1974, os restos mortais de Antonio Bruno foram trazidos para Santa Bárbara d’Oeste, e enterrados em um jazigo em sua homenagem, no Cemitério Campo da Ressurreição. A cerimônia organizada pelo Lions Club e Prefeitura, contou com a presença dos escoteiros, Guarda Municipal e Corporação Musical de Santa Bárbara d’Oeste.

No epitáfio de seu túmulo localizado no Cemitério Campo da Ressurreição está escrito: “ À Antonio Bruno de Oliveira: Que muito amou esta terra, perpetuando-a como seu historiador, homenagem da gente barbarense”.

Acesse essa história no link para conferir a biografia completa e alguns artigos escritos por Antonio Bruno de Oliveira https://fundacaoromi.org.br/fundacao/index.php?pag=padrao&op=cedoc&id=3632&op2=not&cat=pesquisa-tematica

 

Sobre o CEDOC

O Centro de Documentação Histórica – CEDOC é um  espaço vivo de preservação da história, que além de resgatar todo o passado histórico de Santa Bárbara d’Oeste e região, atua na guarda, conservação e disponibilização do acervo da Fundação Romi e da Indústrias Romi – com destaque para o acervo do Romi-Isetta. É uma importante fonte de pesquisa para jornalistas, estudantes, entre outras pessoas que buscam informações sobre a região de Santa Bárbara d’Oeste. Realiza projeto de Educação Patrimonial para crianças e adolescentes e Processamento Técnico de todos os documentos recebidos. O acervo disponível para consulta é composto por mais de 300.000 mil documentos. No CEDOC são considerados documentos históricos toda informação registrada independente de forma ou suporte (física ou digital), em função de seu valor informativo, testemunhal, que servirão para conferir autenticidade a algum acontecimento histórico ou utilizado como fonte para pesquisas. O CEDOC está localizado à Avenida João Ometto, 200, Jardim Panambi, em Santa Bárbara d´Oeste. (19) 3499-1558. www.fundacaoromi.org.br/cedoc.

Sobre a Fundação Romi

Seu legado iniciou em 1957, em Santa Bárbara d’Oeste, pelo casal Américo Emílio Romi e Olímpia Gelli Romi. Tendo como missão promover o desenvolvimento social e humano através da educação e cultura, a Fundação Romi é pioneira na promoção da comunidade regional e na realização de ações sociais, beneficiando mais de 30 mil pessoas, por ano, através de seus dois grandes eixos: Educação e Cultura. Mantenedora do Núcleo de Educação Integrada, sua escola de Educação Infantil, Ensino Fundamental e Médio, oportuniza a formação integral, autônoma e protagonista de crianças, adolescentes e jovens. Promove, por meio de seu Centro de Documentação Histórica, a preservação da história da cidade e região com o processamento técnico da memória do município para guarda, preservação e disponibilização do acervo à população para consulta e pesquisa.  Tem na educação patrimonial, destinada para alunos da educação básica, a disseminação do conhecimento da história local como elemento de cultura e cidadania. Na Estação Cultural de Santa Bárbara d´Oeste que, por meio de oficinas livres, culturais e de formação, projetos de fomento à economia criativa, de elevação do status cultural e de ações socioeducativas atende milhares de pessoas por ano. A Fundação Romi está localizada à Avenida João Ometto, 200, Jardim Panambi, em Santa Bárbara d´Oeste. (19) 3499-1555. www.fundacaoromi.org.br.

Comentários