Portal SB24Horas

Conteúdo é aqui!

O que é OTIF e qual sua importância no processo logístico?

Hoje em dia um empresário ou gestor não pode ignorar a importância de manter o cliente sempre satisfeito, o que passa pelos processos de logística, expedição e despacho, portanto pela importância do OTIF.

Sigla para On Time In Full, o que esse indicador permite é manter um controle de qualidade que vai garantir que os consumidores recebam satisfatoriamente suas encomendas. Isso vai muito além de cumprir prazos, podendo atingir a excelência.

Por exemplo, uma empresa de construção e reforma não precisa garantir apenas que sua agenda fique em dia, mas que os lotes comprados cheguem com integridade física, além do suporte técnico que se segue logo depois.

Por isso decidimos escrever este artigo, trazendo aqui os conceitos principais em torno do OTIF, bem como sua importância no processo logístico e no fortalecimento da empresa. Então, se você quer dominar esse tema, basta seguir adiante.

O que é esse indicador?

É preciso entendermos o OTIF em um contexto de extrema competitividade, que é a do mercado atual, no qual surgem marcas novas todos os dias, oferecendo as mesmas soluções.

O termo “On Time In Full” quer dizer algo como “Na hora e na íntegra”, ou seja, um produto entregue dentro do prazo e com todas as exigências cumpridas.

No caso de um transporte equipamentos pesados, por exemplo, “on time” pode remeter não apenas ao horário e à data, mas também à exatidão do local combinado.

Já a dimensão do “in full” também vai além do óbvio, podendo incluir integridade e qualidade, mas também assertividade, como quando se refere a um maquinário que terá de ser instalado no chão de fábrica do cliente, e daí em diante.

Entendendo melhor os KPIs

Quando falamos em OTIF, também estamos falando sobre um KPI, que nada mais é do que um Key Performance Indicator, ou seja, um Indicador-Chave de Performance.

Esse conceito ou metodologia de trabalho já é muito conhecido no mundo corporativo, podendo remeter a vários outros setores da empresa, tais como:

  • Indicadores de Eficiência;
  • Indicadores de Produtividade;
  • Indicadores de Capacidade;
  • Indicadores de Lucratividade;
  • Indicadores de Qualidade.

Quando falamos em alguém da área de empresas de transportes de cargas em SP, ou em qualquer outra região, o KPI se transforma em uma ferramenta que lida com as métricas típicas da logística, do almoxarifado, da expedição e do suporte ao cliente.

Por exemplo, o excesso de reclamações no SAC pode indicar um problema que talvez tenha se iniciado no setor de divisão e embalagem das remessas.

Deste modo, o indicador de OTIF permite uma visão mais abrangente que dá o controle que os gerentes precisam para fazer o processo inteiro funcionar, sem pontas soltas.

Sobre a implementação

É muito comum algumas empresas se empolgarem com as promessas que o OTIF faz, porém ficarem perdidas sem entender qual sua real importância ou como ele realmente atinge o processo logístico.

Essencialmente esse indicador é uma fórmula percentual, assim como outros KPIs. O que temos é “on time” x “in full”, ou seja, a demanda de prazo confrontada com a de qualidade.

Assim, 90% (0,90) de eficiência na primeira coluna, contra 80% (0,80) na segunda resultaria em um percentual de 0,72, ou seja, 72%.

Um ponto fundamental é saber aplicar a teoria universal no caso específico de cada negócio. Para isso, a metodologia deve levar em conta o processo de cada um, desde os métodos utilizados na expedição até o despacho ou coleta de cada remessa.

A melhoria implica saber ler o percentual e buscar sempre os 100%. Em um caso pode ser preciso recorrer a algo como galpão logístico para alugar, de modo que a operação ganhe mais margem no almoxarifado, agilizando o processo de separação.

Em outros casos o problema pode estar na tecnologia aplicada, o que demandaria a implementação de um inovador ERP (Enterprise Resource Planning), que é o Sistema Integrado de Gestão Empresarial.

Com um desses é possível amarrar todo o processo de cima a baixo, garantindo que os prazos e o devido controle de qualidade vão acontecer, de modo que cada pedido não apenas será bem atendido, como ainda trará benefícios para todas as partes.

Ou seja, o funcionário terá um ambiente de trabalho melhor, o cliente ficará satisfeito e com isso a marca se fortalecerá, melhorando seus resultados gerais.

Conclusão

Enfim, o indicador On Time In Full é um KPI de alto nível e pode garantir desempenhos igualmente elevados, desde que seja bem aplicado.

Com as dicas que demos acima é possível entender melhor do que se trata essa metodologia, qual é sua importância no processo logístico e sua aplicação real.

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.