Portal SB24Horas

Conteúdo é aqui!

Nova Odessa estende vacina contra gripe a trabalhadores dos Correios, profissionais de limpeza urbana e moradores de rua

A Secretaria de Saúde de Nova Odessa disponibiliza, a partir desta terça-feira (16), a vacina contra a gripe para três novos grupos: trabalhadores dos Correios, profissionais de limpeza urbana e pessoas em situação de rua. A ampliação dos grupos prioritários foi recomendada pelo Governo do Estado diante da baixa procura na etapa final da campanha, que vai até o próximo dia 30, em todas as unidades básicas de saúde do município.

De acordo com a Vigilância Epidemiológica, para receber a dose da vacina contra o vírus Influenza, basta o cidadão se dirigir a uma das unidades com a carteira de vacinação, um comprovante de exercício da função, que pode ser crachá, holerite ou carteira de trabalho. A imunização ocorre de segunda a sexta-feira, das 7h30 às 15h30, nas UBS’s do Centro, São Jorge, São Manoel, São Francisco, Alvorada e Marajoara.

Além dos novos grupos, a vacina está disponível nos postos para crianças de 6 meses a menores de 6 anos, pessoas com deficiência, grávidas e mães no período de pós-parto (até 45 dias), alvos da etapa final da campanha. Professores de escolas públicas e privadas, adultos de 55 a 59 anos de idade, caminhoneiros, motoristas de ônibus, portadores de doenças crônicas não transmissíveis, funcionários do sistema prisional, adolescentes que cumprem medidas socioeducativas, detentos, pessoas acima de 60 anos e profissionais de saúde, que integram outros grupos prioritários da campanha, também poder ser vacinados.

A Prefeitura de Nova Odessa imunizou 100% dos idosos e dos profissionais de saúde na primeira fase da campanha, realizada entre 23 de março e 15 de abril. Foram vacinadas 6,3 mil pessoas acima de 60 anos e 695 trabalhadores da área de saúde. A Secretaria de Saúde esclarece que a vacina não protege contra o novo coronavírus. No entanto, como é eficaz na prevenção ao vírus Influenza (A-H1N1, A-H3N2 e B), auxilia os profissionais de saúde na identificação de infectados pelo novo vírus.

Iniciada em março, a campanha de vacinação terminaria em 5 de junho, mas foi prorrogada pelo Ministério da Saúde por conta da baixa adesão entre crianças, grávidas e puérperas.