RMC Santa Bárbara d´Oeste 

Nova Odessa colabora com obra do Instituto de Criminalística


Três máquinas foram emprestadas para serviços de movimentação de terra e conclusão de rede de águas pluviais

 

A Prefeitura de Nova Odessa, através da Diretoria de Serviços Urbanos, cedeu três equipamentos para o IC (Instituto de Criminalística) de Americana. As máquinas – uma escavadeira, uma esteira e um caminhão – foram emprestadas pelo período de uma semana e utilizadas para obras de movimentação de terra e conclusão de rede de águas pluviais na nova sede do instituto.

 

Atualmente, o IC funciona em um imóvel alugado em Americana e, além do município, atende também as cidades de Nova Odessa, Artur Nogueira, Cosmópolis, Engenheiro Coelho, Hortolândia, Monte Mor, Santa Bárbara d’Oeste e Sumaré. Com recursos do Governo do Estado, uma nova sede está sendo construída em área de 15 mil metros quadrados em Americana. O espaço, que deve ser inaugurado em setembro, abrigará também o IML (Instituto Médico Legal), o necrotério e ainda uma stand de tiros para coleta de provas.

 

Chefe de Gabinete da Prefeitura de Nova Odessa, Vanderlei Cocato afirmou que recebeu o ofício do perito criminal chefe do IC, Edvaldo Messias Barros, solicitando a cessão do maquinário. “Recebemos este pedido e atendemos, afinal, Nova Odessa é atendida pelo Instituto. Todas as perícias de acidentes ou qualquer outro tipo de violência registrados em Nova Odessa são realizadas pelo instituto”, disse.

 

Diretor de Serviços Urbanos, Hélio Brito disse que os serviços serão concluídos nesta quinta-feira, dia 13. “Esta obra do IC tinha uma certa urgência porque a sede será inaugurada em breve e não poderia ser entregue sem estes serviços”, disse. Ele destacou, no entanto, que todos os dias o maquinário era levado à Americana e, no final da tarde, recolhido para a Garagem de Nova Odessa.

 

O perito criminal chefe do IC agradeceu o empenho de Nova Odessa com as obras. “Este apoio de Nova Odessa foi de extrema importância para ajudar a finalizar as obras. O uso desse maquinário era vital para que conseguíssemos concluir os serviços no prazo para poder inaugurar a nova sede”, disse. Segundo ele, os serviços de movimentação de terra e escoamento da galeria pluvial não constavam no projeto e, por isso, não foram realizadas pelo governo estadual.

 

 

Comentários

Leia também...