Nova Odessa aposta em pequenas e médias empresas para driblar crise


De acordo com dados da Secretaria de Desenvolvimento Econômico, 91% do total de empreendimentos se enquadram nesta classificação

 

Diante da grave crise econômica brasileira, que tem ocasionado alta no desemprego, na inflação e nas taxas de juros, a Secretaria de Desenvolvimento Econômico de Nova Odessa tem buscado enfrentar a turbulência fomentando as pequenas e médias empresas da cidade, responsáveis por 91% do total dos 4.999 empreendimentos locais ativos – conforme dados do Instituto Brasileiro de Planejamento e Tributação (IBPT).

O secretário de Desenvolvimento Econômico, Adriano Lucas Alves, o professor Adriano, propôs que fossem realizadas alterações no Plano Diretor do Município para criar vetores de crescimento industrial e uma política de ocupação de vazios urbanos. Trouxe para a Secretaria de Desenvolvimento o Banco do Povo Paulista, o Posto Local do Trabalho e busca, de modo fixo, um PAE (Posto de Atendimento ao Empreendedor).

Em junho do ano passado foi criado o PRODENO (Programa de Desenvolvimento de Nova Odessa), que propõe isenções e benefícios
às empresas que queiram se expandir.

 

Crescimento – “Oferecemos condições para que os pequenos e médios possam crescer, buscando vencer os problemas da economia nacional e sobreviver com expectativa de crescimento”, destaca o secretário.

Segundo dados do Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados), o município teve saldo positivo de 72 vagas de trabalho no primeiro trimestre deste ano, em relação ao mesmo período de 2014. O setor de serviços ficou positivo em 52 vagas e a construção civil, em 78.

O professor Adriano cita que a ampliação e diversificação do parque industrial se deve à localização privilegiada do município, próximo das rodovias Anhanguera (SP-330) e Bandeirantes (SP-348) e ao Aeroporto Internacional de Viracopos. “São vantagens estratégicas.”

 

 

Assessoria

 

Comentários

Notícias relacionadas