No feriado de 9 de Julho, além de desfile, NO terá exposição de ‘relíquias’ de ex-combatente


Objetos serão expostos próximo ao obelisco em homenagem aos soldados constitucionalistas

 

Nesta quinta-feira – feriado de 9 de Julho -, acontece em Nova Odessa a tradicional homenagem aos soldados da Revolução Constitucionalista de 1932. A novidade, este ano, é que, além da solenidade e o desfile de cavaleiros e charreteiros, haverá uma exposição de alguns objetos de época no Centro Ecumênico do Cemitério Municipal.

Doados a mais de dez anos à municipalidade, entre as relíquias que serão expostas estão medalhas, munições e um capacete, que supostamente teria sido usado pelo ex-combatente paulista, Aristeu Valente.

Os nossos familiares contam que ele não foi convocado para o combate. Na época, os pais dele chegaram a pedir para não ir, mas mesmo assim ele foi de livre e espontânea vontade, pela paixão que tinha à pátria e acabou morto em uma emboscada com uma baioneta”, conta a sobrinha Maria Célia Dias Blanco.

Em 1932, 13 homens foram enviados às batalhas, mas Aristeu Valente foi o único morto em combate. “Ele foi um herói. Nossa mãe (Theresina Valente Dias) conta que a baioneta foi retirada por um padre e o corpo dele veio de trem para ser enterrado em Americana. Somente anos depois é que os ossos foram trazidos para Nova Odessa”, disse.

Para Mario José Kerper, também sobrinho do ex-combatente, a homenagem é uma oportunidade de manter viva a história. “Nossa família é tradicionalmente de Nova Odessa e a nossa intenção é que a história permaneça”, acrescentou.

A cerimônia em homenagem aos soldados constitucionalistas será realizada após a celebração ecumênica, marcada para as 8h, e que será ministrada pelo padre Renato Marchioro. Após a solenidade, a entrega de uma Bandeira Paulista ao líder do 3º Desfile de Cavaleiros e Charreteiros de Nova Odessa marcará o início do evento.

A exposição, a celebração ecumênica e a homenagem serão realizadas próximo ao obelisco dos ex-combatentes. Nele, estão gravados os nomes dos 13 homens que foram enviados às batalhas”, lembrou o diretor de Cultura e Turismo, Leonardo Blanco.

No Cemitério de Nova Odessa estão sepultados nove dos 13 soldados que foram à luta contra o crescente totalitarismo de Getúlio Vargas. “Em todo feriado de 9 de julho, buscamos manter viva a memória desses heróis tão importantes para a história do nosso Estado”, destacou o prefeito Benjamim Bill Vieira de Souza.

A saída para o desfile dos cavaleiros e charreteiros está prevista para as 9h30, da Praça dos Três Poderes, em frente à prefeitura. O final do trajeto será em uma área do bairro Ceci Ovos (próximo à Apae Nova Odessa) e, no local, haverá shows e sorteio de brindes. Parte do valor arrecadado com o estacionamento será revertido para a Apadano (Associação dos Pais e Amigos dos Deficientes Auditivos de Nova Odessa).

Após a exposição temática, as relíquias voltarão para o Centro Cultural Herman Jankovitz, que fica na Avenida João Pessoa, 253, no Centro. O espaço está aberto para visitação pública de segunda a sexta-feira, das 8h às 16h30. A entrada é gratuita.

 

SOLDADOS – Em 1932, até então distrito de Americana, Nova Odessa enviou às batalhas: Alberto Bartolo, Antonio Prado, Aristeu Valente, Benedito Camargo, Eduardo da Silva – o “Dodô”, Faustino de Moraes, Fausto Moraes, Francisco de Souza, Joaquim Rodrigues Azenha, Martholino Teixeira Filho, Roberto Whitehead, Shano Jorge Sprogis e Theodomiro Delegá.

 

Foto: Osnei Restio

Comentários

Notícias relacionadas