Morre Eusébio, ídolo dos portugueses e do futebol mundial

Eusébio da Silva Ferreira, Eusébio, nasceu em 25 de janeiro de 1942 em Moçambique. Chegou ao Benfica, em Lisboa, em 1960, para se tornar o maior ídolo da história do futebol português, de quem recebeu à época a distinção de Rei, conhecido também como Pantera Negra.

No Benfica conquistou todos os títulos possíveis, destacando-se 11 campeonatos nacionais e uma Liga da Europa – ele marcou com a camisa grená 638 gols em 614 partidas  e recebeu ainda várias Bolas de Ouro e de Prata.

Considerados um dos maiores atacantes do mundo, Eusébio chegou a rivalizar com Pelé nos anos 1960, passando de derrotado na final do Mundial de Clubes de 1962 pelo Santos a algoz da Seleção Brasileira na Copa do Mundo de 1966, na Inglaterra, tendo marcado dois gols na vitória de Portugal por 3 a 1 que eliminou o Brasil na fase de classificação. Eusébio foi o também o artilheiro daquela Copa, com nove gols.

Depois que abandonou a carreira, Eusébio se transformou em uma espécie de embaixador do futebol no mundo, pelas suas reconhecidas simplicidade e simpatia. Admirador do futebol brasileiro – e também muito querido no nosso país – Eusébio visitou o vestiário da Seleção Brasileira na Copa do Mundo de 2010, na África do Sul, depois do jogo entre Brasil e Portugal.

O último encontro de Eusébio com o futebol brasileiro se deu no amistoso disputado pela Seleção Brasileira no Gillette Stadium, em Foxborough, nos EUA – vitória sobre Portugal por 3 a 1 – em 10 de setembro do ano passado.

Das mãos do presidente da CBF José Maria Marin, nas presenças de Pelé e do vice-presidente Marco Polo Del Nero, Eusébio recebeu uma camisa da Seleção Brasileira autografada com o número 13 que ele usava pela seleção portuguesa.

Eusébio ficou muito emocionado com a lembrança, especialmente pelo simbolismo do número 13 com que tanto honrou a seleção do seu país.

Ele morreu neste domingo, 5 de janeiro de 2014, em Lisboa. O presidente José Maria Marin guardou daquele encontro as melhores lembranças.

– Era uma pessoa de uma simplicidade impressionante para a grandeza do futebol que jogou. Era ídolo maior em Portugal, mas também das gerações de brasileiros que o viram jogar. Envio os sentimentos de pêsames aos familiares deste grande ídolo do futebol que nos deixou.

 

CBF

Comentários

Notícias relacionadas