Lixo gerado cresce mais que população, afirma Consimares

Foto: Google imagens

Enquanto índice de moradores da região cresceu 4% nos últimos anos, a quantidade de lixo aumentou, em média, 10%

A quantidade de lixo doméstico gerado nas cidades da região cresceu mais que o número de habitantes nos últimos quatro anos. A afirmação é do superintendente do Consimares (Consórcio Intermunicipal de Resíduos Sólidos), Valdemir Ravagnani, que atribui o aumento à mudança de comportamento da população, em especial por conta do aumento no poder de compra.

Entre 2010 e 2014, a população das oito cidades que integram o Consimares – Americana, Capivari, Elias Fausto, Hortolândia, Monte Mor, Nova Odessa, Santa Bárbara d’Oeste e Sumaré – passou de 989.192 para 1.030.580 habitantes, um crescimento de aproximadamente 4%.

No mesmo período, a quantidade de lixo coletada diariamente nestes municípios passou de 675,36 toneladas para 747,78, um crescimento médio de 10%. O índice é superior, inclusive, ao aumento do percentual de lixo gerado no País. Segundo a Abrelpe (Associação Brasileira das Empresas Públicas), o Brasil passou de 201.058 toneladas por dia para 209.280, ou seja, aproximadamente 4,1%.

Presidente do Consimares, o prefeito de Nova Odessa, Benjamim Bill Vieira de Souza, afirmou que a geração de lixo é um assunto de extrema importância e que deve ser tratado com muita atenção pelos municípios. “Este aumento tem um impacto direto não apenas por conta dos gastos com a destinação deste material, mas em especial por conta do meio ambiente. É preciso uma mobilização de todos para tratar o assunto e buscar a melhor saída”, disse.

Segundo Ravagnani, o aumento do poder de compra da população tem ligação direta com o crescimento na geração do lixo. “As pessoas passam a comprar mais, e consequentemente, gerar mais lixo por conta dos produtos, das embalagens que são cada vez mais atraentes, etc.”, disse.

Ele destaca que é preciso conscientização e mobilização da população para reverter a situação. “Descartar corretamente recicláveis, utilizar materiais de fontes renováveis, fazer coleta seletiva são algumas das ações que podem ser tomadas”, disse. “Se considerar, um crescimento de 10% é muito grande, principalmente quando nossa população não segue este percentual”, disse.

Ravagnani destacou que o Consimares tem feito estudo de concepção da situação das cidades da região para então serem tomadas outras iniciativas para resolver a questão.

Comentários

Notícias relacionadas