Grupo de Diabetes da Carelink monitora e presta orientações educativas aos pacientes


Cada vez mais, as empresas modernas oferecem saúde preventiva aos funcionários como forma de melhorar a qualidade de vida

 

Mais de 400 milhões de pessoas no mundo sofrem com Diabetes, doença provocada pelo excesso de açúcar no sangue, segundo dados da Federação Internacional de Diabetes. De acordo com o Ministério da Saúde, só no Brasil, estima-se que existam 14 milhões de portadores, com cerca de 500 novos casos por dia.

 

Pensando na melhor qualidade de vida de seus colaboradores, com reflexos na produtividade e lucratividade, cada vez mais, as empresas oferecem programas de controle e prevenção de doenças. Especialista no assunto, a Carelink conta com programas especiais de gerenciamento da saúde, entre eles o de diabetes, que monitora os pacientes para acompanhamento adequado. Para Francisca Maria Soares de Silva, de 71 anos, o atendimento é muito bom. “Há anos faço parte do grupo, recebo orientações, converso bastante sobre o diabetes e posso esclarecer minhas dúvidas. Gosto muito deste trabalho e atenção”, diz.

 

Médica e coordenadora do grupo da Carelink, Flávia Marques explica que os atendimentos são frequentes, utilizando-se da tecnologia como e-mail, videoconferência, telefone, SMS e whatsapp, de forma que o paciente pode ser monitorado em qualquer lugar que esteja.  É um trabalho preventivo, que não substitui o médico, mas acompanha o dia-a-dia do diabético. “São orientações educativas para que ele fique atento aos exames como o da hemoglobina glicada, sintomas, faça consultas regulares como ir ao oftalmologista uma vez por ano, além de observar os pés – cor, temperatura, sensibilidade e outros cuidados”.

 

Flávia destaca que a diabetes é a primeira causa de cegueira e amputação no mundo. “O aumento do nível de glicose (açúcar) no sangue leva a alterações vasculares, com repercussão principalmente nos olhos, coração, rins, cérebro e membros inferiores”, explica. Dentre as principais complicações estão a catarata, glaucoma, insuficiência renal – que pode levar à diálise -, doenças cardiovasculares – como infarto -, e acidente vascular cerebral (AVC).

 

“Os principais sintomas são facilmente identificáveis”, afirma a médica da Carelink. São eles: necessidade de urinar muitas vezes, excesso de sede e fome, fadiga e perda de peso. Entre os fatores de risco para o desenvolvimento do diabetes estão a hereditariedade, alteração do colesterol, obesidade, tabagismo, hipertensão, estresse, ingestão de bebida alcoólica em excesso, sedentarismo e idade (acima de 40 anos).

 

Data

No dia 14 de novembro é celebrado o Dia Mundial do Diabetes. A data lembra o nascimento de um dos principais pesquisadores que descobriu a insulina, em 1922, Frederick Banting. As formas mais comuns da diabetes: Tipo 1, conhecida também como infanto-juvenil, que atinge 5% da população e surge em torno dos 10 e 12 anos e é caracterizada pela ausência de produção de insulina pelo pâncreas, tornando a pessoa dependente da aplicação de injeções do hormônio responsável pela redução da glicemia. O Tipo 2 geralmente atinge pessoas com idade acima de 40 anos. “Este tipo de diabetes é responsável por 90% dos casos e pode ser evitado”, frisou Flávia. Neste caso, existe a produção de insulina, porém é deficiente. Há também o diabetes gestacional, o medicamentoso e o causado por outras doenças.

 

 

Sobre a Carelink

Oferece suporte para empresas e seus colaboradores para que todos tenham o melhor aproveitamento do sistema de saúde. Integrando a empresa, com sua operadora de plano de saúde e a rede de prestadores criando uma relação mais saudável e sustentável, estimulando o uso racional dos recursos.

 

Através de uma equipe qualificada, experiente no mercado e tecnologia, desenvolveu um sistema próprio de gestão de saúde que atende 617 mil pessoas. Assim, conta com ferramentas e soluções para gerar informações personalizadas que, juntas aos serviços apropriados, irão alcançar resultados mais eficientes e pessoas mais satisfeitas. Um futuro com menos imprevistos, eventualidades e prontos-socorros.

Comentários

Notícias relacionadas