Limeira 

Geladeiras abrigam livros em Limeira; projeto foi inaugurado sexta (12) pela prefeitura


Transformar geladeiras antigas em pequenas bibliotecas é o objetivo do programa Geladeiroteca, inaugurado na última sexta-feira, 12 de fevereiro, pela Prefeitura de Limeira, por meio da Secretaria de Cultura. Os livros podem ser retirados gratuitamente e levados para casa. Em troca, o leitor deve doar um título em bom estado, colocando-o na geladeira.
A primeira unidade do programa foi instalada em um local de grande movimentação, o Teatro Vitória, localizado na Praça Toledo Barros, s/nº, Centro. De acordo com a secretária de Cultura, Gláucia Bilatto, a ideia é implantar outras cinco geladeiras na cidade, sendo que a próxima funcionará na sede da prefeitura, no Edifício Prada. “Os livros têm a missão de levar as pessoas a outros lugares, de despertar o pensamento e a reflexão. Nossa proposta é facilitar o acesso à cultura”, frisou.
Gláucia também ressaltou a preocupação ambiental do projeto, pois dá nova destinação a um eletrodoméstico que levaria centenas de anos para se decompor. Antes de receber os livros, porém, a geladeira passou por um processo de recuperação, recebeu pintura nova e foi abastecida com grande diversidade de livros, com títulos nacionais e internacionais. Dentre os autores brasileiros, estão disponíveis obras de Machado de Assis, Graciliano Ramos e Luis Fernando Veríssimo.
Segundo a primeira-dama e presidente do Fundo Social de Solidariedade de Limeira, Deise Hadich, que na ocasião representou o prefeito Paulo Hadich, é preciso valorizar a leitura como forma de manifestação cultural. “Essa gestão tem como meta elaborar projetos de acessibilidade e diversidade cultural. A Geladeiroteca irá somar a essa meta, levando a cultura para mais perto das pessoas”, frisou.
A cerimônia de lançamento do programa foi acompanhada por alunos de escolas municipais. A estudante Clara Brito Souza, de 7 anos, que estuda na Emeief Clara Monzoni Lang, surpreendeu-se com a proposta. “Pensei que fosse uma geladeira normal, mas descobri que tinha livros dentro”, comentou. Outra estudante, Hellen Moraes Vieira, de 10 anos, da Emeief Aracy Nogueira Guimarães, a iniciativa foi interessante. “Achei a ideia criativa, usaram as prateleiras da geladeira como estante de biblioteca”, afirmou. Na sequência, os alunos assistiram à animação ‘Cada um na sua casa’, dentro do projeto Cine Escola, da prefeitura.

 

 

 

Assessoria de imprensa

Comentários

Leia também...