Fundação Romi recebe representante do IPHAN Marcos Rabelo

Visita ao CEDOC faz parte das ações do convênio celebrado entre a instituição e o   Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional  (IPHAN)

Na próxima segunda-feira, primeiro de setembro, o Centro de Documentação Histórica da Fundação Romi (CEDOC), receberá a visita de Marcos Rabelo, representante do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN) e responsável em avaliar as atividades e etapas desenvolvidas com a primeira parcela do desembolso do convênio, firmado para execução do projeto “História Local como Elemento de Cultura e Cidadania”.

O objetivo da visita é mostrar a Marcos Rabelo as dependências do CEDOC e os trabalhos executados até o momento com o primeiro repasse do projeto “História Local como Elemento de Cultura e Cidadania”, recurso conquistado pela Fundação Romi após classificação no edital do Fundo Nacional de Cultura (FNC). O trabalho realizado pela instituição barbarense na execução do projeto é acompanhado pelo IPHAN São Paulo e toda a produção de materiais é submetida a aprovação do órgão.

O projeto é dividido em etapas e nesse mês a Fundação Romi finaliza a execução da primeira, que é criar instrumentos de disseminação do conteúdo histórico. O Convênio entre a Fundação Romi e o IPHAN busca ampliar as atividades de Educação Patrimonial para 10 mil estudantes de escolas da região e trabalha para que esses alunos deixem de ser apenas visitantes e se tornem atuantes no processo de aprendizado da história.

“História Local como Elemento de Cultura e Cidadania” é voltado para crianças de cinco a dez anos e para cada faixa etária são programadas oficinas específicas. Em 2013, 7.782 alunos de escolas estaduais, municipais e particulares de Santa Bárbara e região participaram das atividades de Educação Patrimonial no CEDOC. A ideia é criar um espaço de integração pedagógica, que explore novos temas e execute trabalhos interdisciplinares relacionados à história do município.

 

Fundação Romi

Criada em 1957, em Santa Bárbara d’Oeste, pelo casal Américo Emílio Romi e Olímpia Gelli Romi, a Fundação Romi tem como missão promover o desenvolvimento social através da Educação e Cultura. Tendo como mantenedora a Indústrias Romi S.A., a instituição planeja e opera seus próprios projetos em uma perspectiva de médio e longo prazos, mas com foco nos resultados e na preocupação de influenciar as políticas públicas, desenvolvendo tecnologia social aplicável a outras entidades. A Fundação Romi foi pioneira na identificação e nas ações de responsabilidade social, inicialmente com foco no segmento social da mantenedora. Mas, acompanhando a evolução da iniciativa privada no campo social, a Fundação Romi, gradualmente, foi direcionando suas ações para a comunidade em geral.

 

Comentários

Notícias relacionadas