Grande São Paulo 

Férias no Municipal: visitas educativas de hora em hora todos os dias

Público poderá conhecer o belíssimo prédio histórico, a Praça das Artes e o subterrâneo do Theatro; Tudo gratuitamente. Foto Florence Zyad

 

Férias no Municipal! De 10 a 31 de janeiro, o Theatro Municipal de São Paulo terá as suas visitas educativas gratuitas realizadas todos os dias de hora em hora no intervalo das 10h às 17h. As inscrições devem ser feitas com 1 hora de antecedência na bilheteria do local. O público poderá conhecer o belíssimo prédio histórico e ainda a Praça das Artes, inclusive com visitas em inglês, sempre às 14h, e libras, às 16h.

Além disso, a concorrida “Visita aos Lugares não Visitáveis”, que anteriormente acontecia apenas em eventos como “Jornada do Patrimônio”, será oferecida a partir do meio-dia, e percorre o subterrâneo do Theatro. Os visitantes farão trajetos que despertam grande interesse e curiosidade do público. Será possível conhecer o túnel que liga o edifício do Municipal à fonte Carlos Gomes, o Salão dos Arcos e os túneis de manutenção, terminando no ponto mais alto do prédio: a Cúpula. Esta será oferecida apenas em português.

Theatro Municipal

O Theatro Municipal surgiu para a cidade de São Paulo como um grande símbolo das aspirações cosmopolitas do início do século 20. Cada vez mais refinada e com mais recursos provenientes do ciclo do café, a alta sociedade paulistana espelhava-se em valores europeus e desejava uma casa de espetáculos à altura de suas posses para receber grandes artistas da música lírica e do teatro.

O edifício projetado pelo escritório Ramos de Azevedo com colaboração dos italianos Cláudio Rossi e Domiziano Rossi teve o início das obras em 1903 e foi inaugurado em 12 de Setembro de 1911. O Theatro Municipal foi aberto diante a uma multidão de 20 mil pessoas que acompanhavam a chegada dos ilustres convidados.

A luxuosa construção, fortemente influenciada pelos teatros de ópera ecléticos, foi considerada um feito histórico para a época, com traços renascentistas e barrocos na fachada e, em seu interior, muitos adornos e obras de arte: bustos, bronzes, medalhões, afrescos, cristais, colunas neoclássicas, vitrais, mosaicos e mármores. São Paulo integrava-se, finalmente, ao roteiro internacional dos grandes espetáculos.

Pelo palco do Theatro Municipal passaram as mais importantes companhias artísticas da primeira metade do século 20, que trouxeram a São Paulo nomes como Enrico Caruso, Beniamino Gigli, Mario Del Monaco, Maria Callas, Renata Tebaldi, Bidu Sayão, Arturo Toscanini, Camargo Guarnieri, Villa-Lobos, Francisco Mignoni, Magdalena Tagliaferro, Guiomar Novaes, Pietro Mascagni, Ana Pawlova, Arthur Rubinstein, Claudio Arau, Duke Ellington, Ella Fitzgerald, Isadora Duncan, Margot Fonteyn, Nijinsky, Nureyev, Baryshnikov, dentre muitos outros.

O Theatro também foi cenário de um dos principais eventos da história das artes no Brasil, a Semana de 22, que entre 11 e 18 de fevereiro de 1922 reuniu um grupo de jovens artistas que questionou os valores da arte e da cultura vigentes, nos campos da música, da escultura, pintura, poesia e literatura. Neste grupo estavam Mário e Oswald de Andrade, Heitor Villa-Lobos, Víctor Brecheret, Di Cavalcanti, Anita Malfatti, Plínio Salgado, Menotti Del Pichia, Guilherme de Almeida e outros que deram início ao movimento modernista brasileiro.

Nos mais de 100 anos de história, três grandes restauros marcaram as mudanças e renovações no Theatro: na década 1950, ampliou os camarins, transferiu os camarotes da boca de cena para a parte de trás da plateia, substitui as cadeiras da sala de espetáculos, que recebeu novo mobiliário desenhado pelo Liceu de Artes e Ofícios, e instalou o órgão G. Tamburini.  A segunda, de 1986 a 1991, restaurou todo o prédio e implementou as estruturas de palco e os equipamentos de cena foram substituídos.?? Para celebrar o centenário, o Theatro Municipal de São Paulo passou pela terceira reforma: ?as fachadas e a ala nobre foram restauradas, os vitrais recuperados, as pinturas decorativas, com base em fotos antigas, foram refeitas e o palco modernizado.

Já a Praça das Artes foi inaugurada em 2013. O espaço abriga parte dos grupos artísticos do Theatro, as escolas municipais de música e dança, além da Sala de Exposições e a Sala do Conservatório, sede oficial do Quarteto de Cordas da Cidade de São Paulo, e que abriga apresentações de música de câmara, contemporânea, orquestral e coral.

Serviço:

Visitas Guiadas em Janeiro

Gratuito

De 10 a 31 – De hora em hora no intervalo das 10h às 17h

Idiomas: Português, Inglês e Libras

Horários:

11h às 12h30 – Português

12h às 13h30 – Lugares Não Visitáveis

13h às 14h30 – Português

14h às 15h30 – Inglês

15h às 16h30 – Português

16h às 17h30 – Libras

17h às 18h30 – Português

 

Comentários

Leia também...