Portal SB24Horas

Conteúdo é aqui!

Família tem que enterrar ente querido com as próprias mãos em SBO

O corpo da Dona Iraci Trevisan da Silva de 80 anos, que deveria ser sepultado às 10h desta Terça- Feira (31) no Cemitério Central (Campo da Ressurreição) de Santa Bárbara d’Oeste-SP, só foi sepultada após as 12h30minh, devido a uma enorme confusão por falta de documentação para a liberação do enterro.

O enterro deveria transcorrer normalmente, até que familiares ao chegarem ao local, descobriram que a urna onde Dona Iraci deveria ser enterrada, ainda esta lacrada, foi então que familiares foram até a Administração do Cemitério para saber qual o motivo. O funcionário público A.S.P (Meio Oficial), atendeu os familiares, se dizendo ser o administrador do local, e que não poderiam efetuar o enterro por motivos burocráticos, uma vez que na urna havia um corpo de uma parenta que deveria ser exumado e que não seria possível prosseguir com o enterro, e que um funcionário de nome Paulo , deveria autorizar.

A neta de Dona Iraci, Larissa Trevisan nos informou que no dia anterior, ele e sua irmã estiveram no Cemitério para cuidar dos tramites do enterro, uma vez que as mesmas tinham ciência que deveriam solicitar a exumação com antecedência, e o funcionário A.S.P, disse que tudo estaria resolvido, e não haveria problemas.

A família então tomou a decisão de prosseguir com o enterro sem mesmo efetuar a exumação do outro corpo, e com ajuda de outros funcionários públicos que estavam no local, chegaram a colocar o corpo na urna e logo depois tiveram que retirar novamente, pois havia chego uma ordem superior para efetuar a exumação.

O fato que chamou atenção que familiares tiveram que pegar inchadas e marretas para quebrar a urna, pois os funcionários públicos (Coveiros) estavam impedidos de exercerem suas funções por determinação superiores. “Os coveiros se sensibilizaram com nossa situação e ajudaram nossa família, temos muito que agradecer a estes nobres funcionários” disparou o senhor Tarcisio, filho de Dona Iraci.

Após o enterro, o funcionário público A.S.P juntamente com outro funcionário de nome Paulo, estiveram na Delegacia do Município, registrando um B.O contra familiares da sepultada, alegando que um dos filhos havia agredido com palavras de baixo calão e que o mesmo havia tentado agredir o A.S.P com um bebedouro que foi arremessado em sua direção.

Tarcisio da Trevisan, o Cissão disse a reportagem, que sua família foi humilhada pelo funcionário e que o mesmo havia partido para cima de seu filho, diante disso naquele momento ele se exaltou e acabou dando um tapa no bebedouro, e que irá ressarcir os cofres público, caso seja feita a solicitação.

Os funcionários públicos não quiseram mencionar sobre ocorrido, pedindo para a reportagem entrar em contato com assessoria de imprensa da prefeitura, na próxima quinta feira.

 

 

 

ATUALIZADA: NOTA DA PREFEITURA ENVIADA 02/01/2014

A Secretaria de Meio Ambiente, responsável pelos cemitérios municipais, abriu um processo administrativo para apurar os fatos. A pasta informa que todo o suporte necessário para o sepultamento foi dado e está a disposição dos familiares para quaisquer esclarecimentos.

LEAVE A RESPONSE

O seu endereço de e-mail não será publicado.