Em resposta a Giovanni Bonfim, Prefeitura nega compra ou emissão de passes de papel


Em resposta a requerimento de autoria do vereador Giovanni Bonfim (PDT), a Prefeitura negou a emissão de passes de papel no Município. Segundo informações do Departamento de Transportes, a Prefeitura não efetuou a compra desse tipo de passe na atual Administração. O pedido de informações do vereador tem como base as notas fiscais 100, 105 e 107 da empresa Sertran, as quais totalizam cerca de 5 mil passes em papel, apesar desse item não constar no edital de licitação do transporte público nem no contrato.

Por meio de ofício assinado pelo secretário municipal de Governo, Rodrigo Maiello, a Administração Municipal informou que o valor pago aos passes de papel se refere aos tíquetes usados pela população em 2014 e 2015, os quais já estavam em poder dos usuários e são entregues nas catracas dos ônibus. Com a tarifa a R$ 2,40, foram pagos R$ 181,7 mil pelos passes de papel em 2014, além de R$ 37,3 mil, quando a tarifa já havia sido reajustada para R$ 2,70. Em 2015, com esse mesmo valor do passe, o total gasto foi de R$ 20,3 mil em passes de papel. Com o aumento do valor da tarifa para R$ 3,30, foram gastos mais R$ 50,3 mil. No total, em dois anos, a Prefeitura pagou quase R$ 290 mil por esses bilhetes.

 

Assessoria
Imagem: ilustrativa

Comentários

Notícias relacionadas