Em resposta a Giovanni Bonfim, Prefeitura assume ter fechado 2015 com déficit de R$ 11 milhões


A Prefeitura de Santa Bárbara d’Oeste fechou 2015 no vermelho, com um déficit orçamentário de R$ 11 milhões. Enquanto as despesas totais da Administração Direta atingiram R$ 368,2 milhões, as receitas foram de R$ 357,2 milhões. No DAE (Departamento de Água e Esgoto), também houve déficit no ano passado, quando as despesas da autarquia atingiram mais de R$ 59,7 milhões, num período em que a arrecadação total foi superior a R$ 51,3 milhões.

Essas informações foram obtidas pelo vereador Giovanni Bonfim (PDT), que na última semana recebeu resposta da Administração Municipal ao Requerimento 462/2016, por meio do qual pedia informações a respeito dos investimentos feitos pela Prefeitura e pelo DAE. Em anos anteriores, 2013 e 2014, as receitas haviam superado os gastos municipais.

No documento encaminhado ao parlamentar, assinado pelo secretário municipal de Governo, Rodrigo Maiello, a Prefeitura também informou que os investimentos em acessibilidade recuaram de 2014 para 2015, caindo de R$ 447,9 mil para R$ 314 mil. No ano passado, no entanto, a Prefeitura passou a investir na construção de prédios públicos, num total superior a R$ 2,1 milhões, enquanto em 2014 não foram registrados investimentos nessa área. Já na iluminação pública, a situação se inverteu, mas, em 2014, o total investido havia sido de apenas R$ 4,8 mil.

Ainda na resposta ao vereador, a Prefeitura informa que os investimentos em obras viárias e pontes caíram de R$ 568 mil, em 2014, para R$ 208 mil no ano seguinte. Já para ações de mobilidade urbana, foram registrados investimentos de R$ 14,5 mil no ano passado, enquanto não foram localizados investimentos nesse setor no ano anterior. Em urbanização, também houve cortes em 2015, quando não foram localizados investimentos nessa área, ao passo que, em 2014, as despesas da Prefeitura haviam sido de R$ 311,9 mil em parques, praças e áreas públicas.

Em resposta aos questionamentos do montante investido em bases de segurança, na revitalização da área central, do terminal urbano, em desapropriações e no programa cidade digital, a Prefeitura informou que, em 2014 e 2015, não foram registrados investimentos nessas áreas.

Comentários

Notícias relacionadas