Dra. Silvia Brandalise participa de Debate Público na Câmara Municipal de Campinas

Presidente do Centro Infantil Boldrini discute o uso do medicamento asparaginase, especifico para leucemia linfoide aguda

A Dra. Silvia Brandalise, presidente do Centro Infantil Boldrini, hospital especializado no tratamento de crianças e adolescentes com câncer ou doenças no sangue, participou hoje, 24 de maio, de um Debate Público realizado pela Comissão de Política e Saúde, acerca do uso do medicamento Asparaginase na Câmara Municipal de Campinas.

Na ocasião, a médica aproveitou a oportunidade para discutir sobre a troca do medicamento de eficácia comprovada e essencial ao tratamento da leucemia linfoide aguda por um produto dito “similar”, cuja eficácia não está documentada em nenhum estudo científico realizada pelo Ministério da Saúde no início do ano. “O medicamento Leuginase, de origem chinesa e comprado este ano, entrou em cena no lugar da L-Asparaginase europeia, utilizada há mais de 30 anos com sucesso superior a 80% dos casos tratados” enfatiza Dra. Silvia.

A luta contra a leucemia deve ser precisa e ágil. A precisa ser combatida desde o início com a mesma voracidade, por pessoas competentes e equipadas com medicamentos de ponta e quimioterapia eficaz. Se não é combatida no início, as chances de sucesso diminuem. “Como médica, considero que prescrever um medicamento não seguro quanto à eficácia, é um ato de imperícia profissional. Como mãe, não abro mão dos meus direitos de dar a oportunidade ao meu (minha) filho (a) de receber o melhor tratamento conhecido no mundo. Como cristã, considero um crime hediondo usar a criança brasileira, para receber um medicamento de eficácia desconhecida”, finaliza Dra. Silvia.

Além da presidente do Boldrini, estavam presentes o Presidente do Conselho Municipal do Direito da Criança e Do Adolescente, Rodrigo Teixeira, o Vereador Paulo Galtério, o Vereador Ailton da Farmácia e o Vereador Paulo Haddad.

Sobre o Centro Infantil Boldrini

Centro Infantil Boldrini ? maior hospital especializado na América Latina, localizado em Campinas, que há 39 anos atua no cuidado a crianças e adolescentes com câncer e doenças do sangue. Atualmente, o Boldrini trata cerca de 10 mil pacientes de diversas cidades brasileiras e alguns de países da América Latina, a maioria (80%) pelo Sistema Único de Saúde (SUS). Um dos centros mais avançados do país, o Boldrini reúne alta tecnologia em diagnóstico e tratamento clínico especializado, comparáveis ao Primeiro Mundo, disponibilidade de leitos e atendimento humanitário às crianças portadoras dessas doenças. www.boldrini.org.br

Comentários

Notícias relacionadas