Desassoreadas, represas de Nova Odessa chegam a 83% da capacidade

O mesmo volume de água, antes do desassoreamento, representaria 98% da capacidade total do sistema

 

As chuvas vieram e os cuidados com economia de água continuam sendo imprescindíveis, mas em Nova Odessa já há o que se comemorar. As represas da cidade estão com capacidade superior ao registrado em março do ano passado, quando ainda não existiam os problemas de escassez de água causados pela estiagem. Isto deve-se ao trabalho de desassoreamento realizado recentemente pela Prefeitura e pela Coden (Companhia de Desenvolvimento), que aumentou a capacidade de três represas da cidade.

No ano passado, as seis represas que integram o sistema de abastecimento de água em Nova Odessa armazenavam 2.337 milhões de litros de água. Hoje, com o desassoreamento, esta capacidade aumentou para 2.450 milhões. “Na Recanto 2, por exemplo, a capacidade de reserva passou de 330 milhões para 410 milhões de litros”, comentou o diretor-presidente da Coden, Ricardo Ôngaro. O aumento apenas nesta unidade, que recebeu investimentos de cerca de R$ 1 milhão, é de 24,2% da capacidade.

De acordo com Ôngaro, atualmente as represas de Nova Odessa estão com 83%. Porém, esse mesmo volume de água, antes do desassoreamento, representaria 98% da capacidade antiga. “Com as obras realizadas, estamos armazenando mais água do que no ano passado, por isso que o índice sobe. São, no total, 113 milhões de litros de água a mais em nosso sistema, atendendo nossos moradores”, explicou. Além da Recanto 2, também foram desassoreadas as represas Recanto 3 e Lopes 2.

O diretor destacou que a população também tem contribuído para melhor uso da água na cidade. Segundo ele, antes do sistema de racionamento implantado como medida para economizar água, a Coden registrava média de 16 milhões de litros tratados. “Agora, temos tratado média de 11 milhões de litros por dia, que têm atendido toda cidade. Esta diminuição é porque a população está mais consciente e economizando”, frisou.

O prefeito Benjamim Bill Vieira de Souza lembrou que todos os investimentos foram feitos pensando em garantir o abastecimento, mas ressaltou que a longa estiagem deixou uma lição à população. “Tivemos que sofrer com a escassez para nos lembrarmos que a água é um recurso finito e que é preciso usar com responsabilidade”, destacou Bill.

 

MAIS AÇÕES – Apesar das boas notícias, o diretor-presidente afirmou que as ações continuam. Segundo ele, a autarquia está em busca de recursos para fazer a segunda etapa de desassoreamento na represa Recanto 3. “Queremos aumentar a capacidade dela em 200 milhões de litros”, afirmou.

Recentemente, o prefeito Benjamim Bill Vieira de Souza também anunciou a construção de uma nova represa e uma nova Estação de Tratamento de Água, com investimento de R$ 7,2 milhões. A represa Recanto 4 terá capacidade de armazenamento de 130 milhões de litros de água bruta, ocupando uma área de 31 mil metros quadrados.

Com a barragem, o Sistema Recanto, que já conta com três represas e tem capacidade de armazenamento de 1,51 milhão de metros cúbicos de água, terá sua capacidade ampliada para 1,64 milhão de metros cúbicos. A rede de abastecimento municipal conta ainda com o Sistema Lopes, que tem duas represas com capacidade total de armazenamento de 865 milhões de litros e a Represa Santo Angelo, com 75 milhões de litros.

Em 2014, também foi implantado em Nova Odessa o Plano de Sustentabilidade Hídrica, que conta com ações que vão garantir a recuperação das nascentes do município. O plano ainda envolve a preservação de mata ciliar e a preservação do lençol freático, a fim de garantir que a cidade se torne autossustentável na produção de água.

 

Comentários

Notícias relacionadas