fbpx

Portal SB24Horas

Conteúdo é aqui!

Demanda por veículos usados aumenta e influencia seguro de carros

Veja o que levou ao aumento da demanda por veículos usados e quais foram as transformações no mercado de seguro neste período de pandemia.

A pandemia afetou a vida das pessoas de diferentes maneiras. Uma delas foi em relação ao consumo que passou por mudanças e, em muitos casos, diminuiu devido aos impactos econômicos.

Com o mercado de carros não foi diferente, pois a demanda por veículos usados teve um aumento durante esse período, o oposto do que aconteceu os com os novos. De janeiro a maio, segundo a Fenabrave, 2,9 milhões de veículos usados foram negociados no país.

Somente no mês de junho, houve um aumento de 69,18% na negociação de usados em relação ao mês anterior, entretanto, em relação ao ano anterior houve uma queda de 30,28%.

Quando se trata apenas de automóveis e comerciais leves, o aumento em junho foi de 71,79% em comparação a maio. Desses, 13,34% possuem até 3 anos de fabricação.

Os motivos do aumento da demanda por veículos usados

Os números deixam claro que os consumidores estão voltando a procurar pelos carros para que possam comprar e que os usados têm sido uma opção.

A demanda por veículos usados, apesar de ainda ser mais baixa do que em relação ao ano passado, mostra que o setor está apresentando uma recuperação.

Os carros usados têm sido uma boa opção, principalmente nesse momento em que ainda existe um pouco de incerteza financeira. Para que se tenha uma ideia, a cada veículo novo comercializado, quatro usados são vendidos.

Isso é resultado do momento: muitas pessoas pretendem trocar de carro, mas as incertezas financeiras fazem com que se opte por um mais barato e que caiba no orçamento.

Não é raro ver pessoas que estão vendendo o seu carro sem a intenção de troca e isso, muitas vezes, é resultado de problemas financeiros e fez com que a demanda por veículos usados aumentasse.

Em relação aos valores desses veículos, nem todos se desvalorizaram. Segundo a tabela KBB, carros que possuem até 2 anos de uso e são mais baratos se desvalorizaram. O mesmo ocorreu com veículos que custam entre R$ 80 mil a R$ 100 mil porque a oferta desses aumentou.

No sentido contrário estão os carros com valores entre R$ 50 mil a R$ 100 mil e com médio de 2 anos de fabricação. Eles se valorizaram seguindo o aumento da tabela do carro zero-quilômetro.

O mercado de seguros de carros

Essas transformações na venda de veículos usados interferiram diretamente no mercado de seguros e se somou às mudanças provocadas pela pandemia. Com a venda de seguro em baixa e as pessoas com menos recursos financeiros ou enfrentando dificuldades econômicas, as seguradoras de carro mudaram sua forma de atuação.

Das dez maiores seguradoras que atuam no mercado brasileiros, seis delas tiveram queda nas vendas do primeiro bimestre do ano. Entretanto, algumas conseguiram ter um aumento nas vendas mudando as suas estratégias de atuação, investimento em publicidade e aquisição de outras marcas, como é o caso da Cardif, que cresceu 234% e, da Allianz, que teve aumento de 42% nas vendas.

Um dos motivos que tem gerado números positivos para as seguradoras é a venda de produtos mais compactos e que, consequentemente, possuem valores mais acessíveis, como é o caso de seguro de roubo e furto. Esse produto atraiu principalmente entregadores e motoristas de aplicativos que viram as suas demandas aumentarem durante a pandemia.

Outra estratégia adotada pelas seguradoras é a venda apenas dos serviços de assistência 24 horas que, apesar de não cobrirem danos ao veículo, podem garantir um serviço de socorro.

Melhores condições de pagamento e preços mais atrativos ajudam a manter a venda de seguro auto. Empresas como a HDI Seguros tem mantido o valor anterior nas renovações do seguro ou até mesmo oferecido um desconto que pode chegar a 50%.

A demanda por veículos usados também fez com que as pessoas buscassem novas modalidades de seguro que não a tradicional. O seguro sob demanda ou pay per use teve um grande crescimento.

A startup de tecnologia Thinkseg, que atua no segmento sob demanda, teve um aumento de 250% nas vendas em maio se comparado ao último trimestre de 2019. Para que os clientes possam usufruir do seguro, pagam um valor mensal e uma taxa por quilômetro rodado quando o seguro está ativo.

Entretanto, para garantir que as vendas conseguissem esses números, além de ter um serviço sob demanda, o valor mensal foi reduzido para alguns modelos a fim de atrair novos clientes.

A demanda por veículos usados aumentou e deve permanecer dessa maneira por algum tempo, por outro lado, o mercado de seguros ainda precisa se recuperar e oferecer novos produtos ou melhores condições de pagamento parece ser o caminho certo.

Por Jeniffer Elaina, da Smartia Seguros

Comentários