Portal SB24Horas

Conteúdo é aqui!

24horas Esportes

Dakar 2021 – Pedras, pó, quebra e erros marcam primeira etapa dos pilotos portugueses nas motos

Uma primeira etapa difícil, desafiadora para o português Joaquim Rodrigues no Rally Dakar da Arábia Saudita. Com a Hero 450 Rally da equipa Hero Motorsports, o piloto de Barcelos completou os 277 quilómetros cronometrados entre Jeddah e Bisha na 23ª posição, a 16min31 do vencedor do dia, o australiano Toby Price. Com isso, ocupa o posto 22 na classificação geral da prova.

“Foi uma etapa bastante dura para mim, não conseguia encontrar o ritmo e acelerar a mota. Ainda cometi alguns erros na navegação. Sentia-me preso e depois parecia a etapa mais longa de todos os ralis que já fiz. Não me sentia bem, mas consegui trazer a mota até o final e é o que interessa. Vamos amanhã para a segunda”.

Rui Gonçalves, estreante na competição pela equipe Sherco, conta como foi o dia. “Primeira etapa feita. Estava indo bem até o reabastecimento, com alguns com alguns erros e uma queda, mas tudo bem. Depois, a menos de 100 quilômetros do final, a corrente da mota se soltou. Acho que foi uma pedra. Isso me custou algum tempo para voltar a andar, mas chegamos ao final do dia”, contou Rui, que ficou em 27O lugar.

A primeira etapa se mostrou traiçoeira para quem largou entre os primeiros, o que não economizou nem mesmo o atual campeão, Ricky Brabec. Com Sebastian Bühler não foi diferente. Quinto a partir para os 277 quilómetros cronometrados entre Jeddah e Bisha (devido a seu resultado no prólogo), o alemão que se mudou para Portugal com meses de idade, enfrentou dificuldades com a navegação na primeira parte do troço e, com isso, teve comprometidas as possibilidades de repetir o desempenho da véspera. Além disso, destacou as várias partes pedregosas, que mais fizeram lembrar outra modalidade do todo-terreno.

“Foi uma etapa dura, com muita pedra. Às vezes parecia que estávamos a fazer enduro. No início tive um pequeno erro de navegação que me fez perder muito tempo e depois tive de andar a etapa toda no pó, o que é muito perigoso e muito arriscado. Mas é só o primeiro dia e amanhã vamos tentar melhorar”, disse, que ficou em 29O no dia. O quarto português nas motas, Alexandre Azinhais, foi o 63O.

Nesta segunda-feira, a etapa 2 do Dakar levará a caravana de Bisha a Wadi Al-Dawasir, com 477 quilómetros cronometrados e a presença das primeiras dunas. Na maior parte do tempo prevalecem, no entanto, os caminhos abertos, com trilhos arenosos na última fase.

Motos
1. Toby Price (AUS/KTM 450 Rally) 3h18min26
2. Kevin Benavides (ARG/Honda CRF 450 Rally) +31s
3. Matthias Walkner (AUT/KTM 450 Rally) +32s
4. Scott Sunderland (GBR/KTM 450 Rally) +2min03
5. Lorenzo Santolino (ESP/Sherco 450) +4min23
23. Joaquim Rodrigues (POR/Hero 450 Rally) +16min31
27. Rui Gonçalves (POR/Sherco 450) +27min33
29. Sébastian Bühler (POR/Hero 450 Rally) +31min30
63. Alexandre Azinhais (POR/KTM 450 Rally Replica) +2h01min07

Rally Dakar 2021
Primeira etapa: Jeddah/Bisha

Roteiro
2/1 – Prólogo: Jeddah (11km)
3/1 – 1ª etapa: Jeddah/Bisha (622km/SS: 277km)
4/1 – 2ª etapa: Bisha/Wadi Al Dawasir (685km/SS: 477km)
5/1 – 3ª etapa: Wadi Al Dawasir/Wadi Al Dawasir (630km/SS: 403)
6/1 – 4ª etapa: Wadi Al Dawasir/Riyadh (813km/SS: 337km)
7/1 – 5ª etapa: Riyadh/Buraydah (625km/SS: 419km)
8/1 – 6ª etapa: Buraydah/Ha’Il (655km/SS: 485km)
9/1 – Descanso
10/1 – 7ª etapa: Ha’Il/Sakaka (SS: 371/etapa Maratona)
11/1 – 8ª etapa: Sakaka/Neom (709km/SS: 375km)
12/1 – 9ª etapa: Neom/Neom (579km/SS: 465km)
13/1 – 10ª etapa: Neom/AlUla (583km/SS: 342km)
14/1 – 11ª etapa: AlUla/Yanbu (557km/SS: 511km)
15/1 12ª etapa: Yanbu/Jeddah (452km/SS: 225km)

A cobertura do Dakar 2021 pelo Pool “Brasil no Dakar 2021” tem o apoio de Atomic Shop, Benimoto Racing, Enerre, EXT Suspensões, H3D, Herdade da Figueirinha, Monster Energy Can-Am, Norton, JB Racing, Pyrotect, Sharish Gin, SGS Car, Tecmin 4×4, XRace PT, Ricardo Ribeiro/Imóveis em Portugal e Remax.