Corinthians/Americana é superado, mas mantém chance no Sul-Americano


O Corinthians/Americana lutou, mas não conseguiu estrear com vitória na Liga Sul-Americana Feminina de Clubes. Na noite desta quarta-feira (23), no Ginásio Irene Velásquez, em Puente Alto, na Região Metropolitana de Santiago, no Chile, o time americanense foi superado pelo Universidad Tecnológica Equinoccial (U.T.E), do Equador, por 73 a 69, no jogo de abertura do torneio. Karla foi a cestinha da equipe brasileira com 17 pontos.

O Corinthians/Americana ganha uma folga e volta às quadras contra o Leones de Quilpue, do Chile, na sexta-feira (25), às 19 horas, no mesmo local. Uma vitória mantém o time com chances de classificação à semifinal. Neste Sul-Americano, a vitória vale dois pontos e a derrota um. As duas equipes de melhor campanha nesta segunda fase avançam para a próxima fase.

“Elas tiveram mais garra, mais vontade, jogaram mais que nós e conseguiram a vitória. Fomos mal hoje, com a defesa fraca e o ataque precipitado. Apenas no final do jogo tivemos lampejos do que é realmente nosso time. Viemos para cá e não fizemos nada. Ainda estamos vivos, mas temos que jogar basquete”, analisou o treinador Antônio Carlos Vendramini.

O JOGO – Reforçada pelas brasileiras Nádia e Iziane, contratadas especialmente para o Sul-Americano, a U.T.E começou com um ritmo forte, impôs dificuldade e obrigou o Corinthians/Americana a correr atrás do placar. O jogo de garrafão brasileiro funcionou bem, marcou oito pontos, com Damiris do Amaral e Gil, e manteve as brasileiras no jogo. Karla e Ega acertaram a mão nas bolas de três, em momentos decisivos, e conseguiram manter o placar próximo. Mesmo assim, as equatorianas terminaram na frente: 24 a 20.

O Corinthians/Americana se recuperou no segundo quarto. As entradas de Patrícia Chuca e Melissa Gretter fortaleceram a transição do time americanense. Mesmo assim, a UTE seguiu na frente do placar (35 a 31). Nos últimos dois minutos antes do intervalo, as brasileiras conseguiram encaixar na defesa e viraram. Ega tomou conta do garrafão, distribuiu três tocos e animou o ataque americanense, que conquistou a frente do placar em bola de três de Gretter e jogada de força com Ega. Desta forma, as comandadas de Vendramini foram para o intervalo na frente: 36 a 35.

O equilíbrio predominou no terceiro período. As equatorianas, contudo, estavam com a mão calibrada. Vendramini pediu tempo para frear o ataque adversário, mas a U.T.E seguia em ritmo forte no ataque. As experientes Joice e Chuca tentaram puxar o time brasileiro para cima na base da velocidade e mantiveram Americana no jogo, apesar da virada no placar: (52 a 49).

No último quarto, o Corinthians/Americana conseguiu manter a proximidade no placar. Na base da vontade, as americanenses não aproveitaram as oportunidades nos erros adversários e praticamente não pontuaram nos contra-ataques. No final, o time brasileiro foi para o tudo ou nada, forçando o adversário a ir para o lance livre, mas a estratégia não deu resultado e as equatorianas confirmaram a vitória.

“Foi um jogo atípico, muito abaixo do que estamos acostumadas. O campeonato é curto, por isto não dá pra lamentar, abaixar a cabeça. Treinamos muito para estar aqui e não vamos desistir ainda. Um time guerreiro como o nosso não pode deixar de acreditar na primeira derrota. Vamos buscar esta classificação”, encerrou a capitã Karla, mantendo a chama viva pela classificação.

O Corinthians/Americana conta com patrocínio do Grupo Clarian, Unimed, Supermercados Pague Menos, Cicatrizan, Água Platina, Sage e Unicred. A Prefeitura de Americana também será uma das parceiras e principais incentivadoras do projeto.

Corinthians/Americana
Babi (-), Joice (3 pontos), Karla (17 pontos), Damiris do Amaral (6 pontos) e Gil (14 pontos). Técnico – Antônio Carlos Vendramini.
Entraram: Ega (11 pontos), Patrícia Chuca (9 pontos), Karina Jacob (-), Melissa Gretter (7 pontos), Izabella (2 pontos)

 

 

Assessoria ESM

Comentários

Notícias relacionadas