Portal SB24Horas

Conteúdo é aqui!

Conheça a tabela regressiva de previdência

O imposto de renda e a aposentadoria são dois temas que geram muitas dúvidas nos cidadãos. Aqui neste artigo, vamos falar especificamente sobre um fator importante: a tabela regressiva da previdência. Assim, você pode fazer suas contas e entender quando você deve optar por esse regime de tributação.

Conhecer a tabela regressiva do imposto de renda pode lhe ajudar a economizar mais dinheiro. Principalmente em investimentos de longo prazo, é possível diminuir a alíquota de IR na hora do resgate optando por essa tabela.

O que é a tabela regressiva da previdência?

A tabela regressiva da previdência é um dos regimes de tributação para a aposentadoria e investimentos. Basicamente, ao optar por esta tabela, o consumidor terá mais vantagem em investimentos de longo, já que como o próprio nome diz, a alíquota é regressiva, ou seja, ela diminui com o passar do tempo.

Em outras palavras, quanto mais tempo o investidor demorar para resgatar um título ou plano de previdência privada, por exemplo, menor será a alíquota que ele terá de pagar ao Imposto de Renda, o que faz com que ele perca menos rentabilidade.

Quem possui investimentos em planos de previdência privada (PGBL ou VGBL) e em fundos de pensão sabe que existem duas formas de tributação: a tabela regressiva e a progressiva. Para que você possa entender melhor a tabela regressiva, veja como a alíquota de Imposto de Renda irá incidir nestes tipos de investimentos com o passar do tempo:

Prazo de aplicações Porcentagem de incidência de Imposto de Renda
Até dois anos 35%
Entre dois e quatro anos 30%
Entre quatro e seis anos 25%
Entre seis e oito anos 20%
Entre oito e 10 anos 15%
Acima de 10 anos 10%

 

Como dissemos no início deste tópico, na tabela regressiva da previdência, as alíquotas do Imposto de Renda são regressivas, começando com porcentagens mais altas que vão decrescendo ao longo do tempo. Assim, quanto maior for o tempo de aplicação do investimento, menor será a alíquota a ser paga na hora do resgate.

Além de fundos de pensão e planos de previdência privada, a tabela regressiva também a aplica a outros tipos de investimentos como títulos do tesouro direto, CDBs, debêntures, entre outros. Nestes casos, a alíquota também diminui com o passar do tempo e varia entre 22,5% e 15%, como podemos ver na tabela abaixo:

Prazo de investimentos Alíquota de imposto de renda
Até 180 dias (seis meses) 22,5%
Entre 181 dias e 360 dias 20%
Entre 361 dias e 720 dias 17,5%
Acima de 720 dias 15%

 

Diferenças entre a tabela progressiva e a tabela regressiva da previdência

A tabela progressiva, como o nome já indica, funciona dentro da lógica inversa da tabela regressiva. Assim, quanto maior o capital, maior será a tributação sobre ele. Muitos defendem a tabela progressiva por ela ser considerada uma forma de justiça social. Isso é o que podemos ver na alíquota de Imposto de Renda referente ao salário dos contribuintes.

Pegando o exemplo de valores relativos a 2019, podemos ver a progressão da alíquota. Quem ganha até R$ 1.903,98 por mês, por exemplo, não sofre incidência de imposto de renda. Já quem possuía salário entre R$ 1.903,99 até 2.826,65 tinha uma alíquota de 7,5%.

E pela tabela progressiva, a alíquota pode chegar a até 27,5%, que é a alíquota aplicada a pessoas com salário maior do que R$ 4.664,68. Essa lógica também vale para planos de previdência privada. Os optantes pela tabela progressiva possuem uma alíquota menor nos primeiros anos de aplicação e essa alíquota vai aumentando com o passar do tempo.

Assim, a tabela progressiva se torna mais vantajosa para investimentos de curto prazo. Dessa maneira, o investidor pode resgatar o seu dinheiro rapidamente sem perder muita rentabilidade, já que a alíquota do imposto de renda neste regime será menor.

A tabela regressiva é o melhor regime de tributação da previdência?

Bom, podemos dizer que para quem pretende fazer uma aposentadoria complementar, realizando aportes mensais para resgatar o valor após mais de 10 anos de aplicação, a tabela regressiva é a melhor opção.

Porém, a verdade é que as tabelas são totalmente opostas e por isso são mais recomendadas para objetivos distintos. Nesse ponto, a tabela regressiva pode ser uma excelente maneira de aumentar a rentabilidade da sua aposentadoria complementar na hora do resgate.

Esse tipo de tabela também pode em alguns tipos de investimentos para empresas e até pessoas físicas que possuem objetivos de expansão e realização de sonhos no longo prazo. Quem deseja comprar uma casa à vista daqui a 10 anos, por exemplo, pode se beneficiar da tabela regressiva na hora do resgate, já a alíquota de imposto de renda será menor.

E aí, conseguiu entender como a tabela regressiva atua em seus investimentos e previdência privada? Espero que sim! Essa tabela é bastante popular entre investidores.