Portal SB24Horas

Conteúdo é aqui!

Entretenimento

Conheça a história dos brasileiros que cruzaram o Atlântico para conhecer a filha

O casal Camila Pavan e Adriano Garbelini, tiveram sua história contada no país inteiro, após passarem dias angustiantes para conseguir ter em seus braços, sua bebê Pietra, gestada em uma barriga de aluguel na Ucrânia, em meio a pandemia da COVID-19. 

O casal que está junto desde a adolescência, sempre sonhou em ter um filho, mas Camila que foi diagnosticada com AME, aos 9 anos de idade, enfrentou uma série de dificuldades no processo de maternidade, resultando em 2 abortos espontâneos.

Após essas tentativas, o casal foi em busca de entender como funciona o processo de barriga de aluguel, no Brasil essa prática não é permitida, mas é legalizada em países como Estados Unidos e Ucrânia.  

A primeira parada foi nos Estados Unidos, onde Camila passou por uma série de exames, e os médicos constataram que na infância ela recebeu o diagnóstico errado, e não possuía AME e sim Miopatia de Bethlem, outro tipo de distrofia muscular, por este motivo era muito arriscado ela engravidar, pois a doença genética poderia passar para seu bebê.

De volta ao Brasil, Camila tentou fazer o processo de barriga solidária com sua cunhada, essa modalidade é permitida no país, desde que a grávida tenha um parentesco de até 4° grau com o pai ou mãe do bebê, mas o procedimento acabou não dando certo.

Com isso o casal saiu em busca da clínica ideal para realizar a barriga de aluguel, e encontraram em Kiev na Ucrânia, o lugar perfeito, que unia segurança, preço fixo e um ótimo acompanhamento de todo o processo.  

Na clínica colheram o material genético de Adriano, e Camila escolheu por meio de uma seleção natural o óvulo de uma doadora anônima, levando em conta as preferências dessa mulher, peso e gostos, para escolher alguém que fosse fisicamente mais parecida com ela.

Por determinação do casal, a escolha da mulher que gestaria o bebê ficou a cargo da clínica, sob a exigência de que a pessoa escolhida fosse extremamente responsável.

Durante todo o processo de gestação, o casal de brasileiros recebia ultrassons, medidas do bebê e fotos da barriga, sempre através da clínica que cuidou para que tudo saísse perfeitamente bem.

Há poucos dias do nascimento de Pietra, o mundo estava no auge da pandemia do COVID 19, as fronteiras dos países todas fechadas, e Camila e Adriano precisavam viajar até a capital ucraniana.

No meio de muitas incertezas, Camila e Adriano conseguiram passagens em um voo de repatriação de ucranianos que sairia de Munique, na Alemanha no dia 1 de junho. Para conseguir embarcar nesse avião, tiveram de fazer escala em Amsterdã, na Holanda, em seguida foram pra Alemanha, para seguir até Kiev.

Chegando no destino o casal precisou fazer o teste do covid-19 e ficar nove dias de quarentena em um hotel designado pelo governo do país. Com o resultado negativo dos testes, eles foram liberados e puderam aguardar o nascimento de Pietra que foi no dia seguinte, 11 de junho.

Após 2 dias o casal já estava com a filha nos braços, mas optaram por esperar passar 55 dias, até que a bebê ganhasse uma certa imunidade para poder atravessar o atlântico até chegar em São José do Rio Petro, onde a família reside.

Redes sociais

 Instagram: https://www.instagram.com/camilapavan

Youtube: https://www.youtube.com/channel/UCfc-6ibYVYoTHMvZpxTc7Zg

Site: https://camilapavan.com.br/barriga-de-aluguel/