Portal SB24Horas

Conteúdo é aqui!

24horas Santa Bárbara d´Oeste

Conheça a área do Romi-Isetta no site da Fundação Romi

A memória do primeiro carro fabricado em série no Brasil está disponível no site da Fundação Romi

Todo bom barbarense se sente muito orgulhoso em dizer que nasceu em Santa Bárbara d’Oeste, terra do Romi-Isetta, o pequeno pioneiro. Muitas pessoas gostam, pesquisam e querem saber mais sobre a história do primeiro carro fabricado em série no Brasil. No site da Fundação Romi há um conjunto documental, que resgata e preserva a memória da indústria automobilística brasileira,  e pode ser consultado acessando http://fundacaoromi.org.br/fundacao/romi-isetta

Este acervo reflete o contexto social, econômico e político em que foi construído o primeiro carro de passeio fabricado em série no Brasil. “No acervo fotográfico, por exemplo, há imagens do Rio de Janeiro, São Paulo, Porto Alegre e Brasília, além de personalidades como Juscelino Kubitschek, Jânio Quadros, Odete Lara, Anselmo Duarte, Eva Wilma, entre outros personagens da história brasileira. O visitante do site pode conferir ainda Vídeos, Dados Técnicos, Manuais e Catálogos do carro”, explica o superintendente da Fundação Romi Vainer Penatti.

A história começa quando nos anos de 1950 Carlos Chiti, o idealizador do projeto Romi-Isetta, conhece na Itália um carro que chamava a atenção do público e da imprensa mundial, o Iso Isetta, e percebeu que aquele conceito poderia representar uma revolução no mercado brasileiro de automóveis. Até aquele momento, os automóveis vendidos no Brasil eram importados já prontos ou apenas montados nas operações das multinacionais, num sistema chamado CKD (Complete Knock-Down), ou seja, carros completamente desmontados, cujas peças eram produzidas fora do país e enviadas para serem montadas pelas multinacionais.

No dia 30 de junho de 1956, um ano após a assinatura do contrato de direito de licença e aos royalties com a Iso, o primeiro exemplar do Romi-Isetta foi exibido nas instalações da Máquinas Agrícolas Romi, em Santa Bárbara d’Oeste. O lançamento oficial do Romi-Isetta ocorreu em 5 de setembro de 1956, com a realização de uma caravana com os primeiros 16 carros produzidos no Brasil que partiram da Rua Marquês de Itu, 133, no centro de São Paulo e passearam pela capital paulista. O Romi-Isetta teve sua produção planejada para até o início de 1961, com a formação de estoques suficientes para comercialização do modelo até o fim daquele ano.

Há também uma fanpage oficial, na mídia social Facebook,  Romi-Isetta Brasil que traz muitas informações sobre o carro e também do mundo automobilístico. No canal do Youtube Fundação Romi há vídeos históricos, e recentes, sobre o pequeno pioneiro. Além do acervo do Centro de Documentação Histórica – CEDOC da Fundação Romi disponibilizar, de forma gratuita, um rico material de pesquisa sobre o assunto. “É uma ótima oportunidade para esta época de Distanciamento Social para quem conhecer, saber, aprender ou só por curiosidade se entreter com informações do Romi-Isetta”, finaliza Vainer Penatti.

 

Sobre a Fundação Romi

Seu legado iniciou em 1957, em Santa Bárbara d’Oeste, pelo casal Américo Emílio Romi e Olímpia Gelli Romi. Tendo como missão promover o desenvolvimento social e humano através da educação e cultura, a Fundação Romi é pioneira na promoção da comunidade regional e na realização de ações sociais, beneficiando mais de 30 mil pessoas, por ano, através de seus dois grandes eixos: Educação e Cultura. Mantenedora do Núcleo de Educação Integrada, sua escola de Educação Infantil, Ensino Fundamental e Médio, oportuniza a formação integral, autônoma e protagonista de crianças, adolescentes e jovens. Além disso, promove, por meio de seu Centro de Documentação Histórica, projetos de educação patrimonial para crianças do Ensino Fundamental I, para reconhecimento e conhecimento da história local como elemento de cultura e cidadania. Somado a isso, seu Centro de Documentação Histórica também realiza o Processamento Técnico da memória do município para guarda, preservação e disponibilização do acervo à população para consulta e pesquisa. Dentre as unidades da Fundação Romi também está a Estação Cultural de Santa Bárbara d´Oeste que, por meio de oficinas livres, culturais e de formação, projetos de fomento à economia criativa, de elevação do status cultural e de ações socioeducativas atende milhares de pessoas por ano. A Fundação Romi está localizada à Avenida João Ometto, 200, Jd. Panambi, em Santa Bárbara d´Oeste. (19) 3499-1555. www.fundacaoromi.org.br.