Como será o Crescimento Empresarial no Brasil em 2015? As empresas continuarão investindo?

Por Sergio Miorin

A eleição presidencial encerrou-se em 26/10/2014, mantendo a democracia do voto de cada brasileiro. A expectativa era muito grande, o Brasil pedia incansavelmente uma mudança. Mês a mês o país vem piorando na economia, não atingindo as próprias metas do governo federal. Em razão da falta de investimentos em infraestrutura e principalmente com o mau planejamento dos recursos hídricos, há o impacto da falta de água que todos nós estamos enfrentando.

 

As votações mostraram a indignação do povo brasileiro, dividindo o nosso país em um eixo diagonal. A preocupação é muito grande dos brasileiros nesse momento: todos com quem converso, de uma forma geral, estão apreensivos, com medo do que pode vir. O Partido dos Trabalhadores, com o quarto mandato, ficará 16 anos à frente do comando do nosso país.

 

Eu acredito que o primeiro ajuste realizado pela presidente será na política econômica. A presidente começou esse ajuste demitindo o Ministro da Fazenda Guido Mantega, já mostrando uma mudança. Com a chegada do novo Ministro, acredito que medidas serão tomadas, até porque, além da responsabilidade de um cargo dessa magnitude, tem o desafio pessoal do profissional. Na quarta-feira, dia 29/10/2014, aconteceu o anúncio do Prêmio Equilibrista 2014. O vencedor foi o senhor Dárcio Moraes, diretor financeiro da PPG Industries, que se destacou entre outros executivos financeiros que concorriam também ao prêmio.

 

Esses executivos que são associados ao Instituto Brasileiro de Executivos de Finanças (IBEF) – Regional Campinas, do alto escalão de grandes empresas como: Deloitte, IBM, KPMG, John Deere, entre outras, acreditam que a retomada do crescimento econômico acontecerá.

 

A PPG Industries está construindo uma nova fábrica com investimento na ordem de R$ 80 milhões, previsto para iniciar a sua produção em março de 2015.

 

Como a SM – Consultoria, Treinamentos e Palestras transita o tempo todo dentro de empresas pequenas, médias e grandes, em diversos segmentos, atingindo o âmbito de empresas públicas, familiares, nacionais e multinacionais, verifico que as contratações existem, mesmo que em baixa escala, e que a dificuldade de se encontrar mão obra qualificada continua. Saliento, ainda, que profissionais qualificados e proativos conseguem escolher, ou têm uma chance maior de trabalhar onde acreditam ser mais interessante, em empresas cuja cultura e visão vêm ao encontro do perfil deles.

 

Como a mão de obra qualificada é difícil de ser encontrada, as empresas com planejamento e inteligência estratégica apurada acabam não demitindo profissionais qualificados mesmo no momento crítico. Caso o façam, depois será difícil encontrar um profissional do mesmo nível; além do que, existe também a questão da remuneração.

 

O nosso país é rico em recursos naturais e tem muito espaço para o investimento industrial externo. A política do nosso país precisa ajudar a atrair esses investidores. A máquina pública precisa se modernizar urgentemente, assim os investidores terão um olhar diferente para o nosso país. As iniciativas atraem interesses internacionais: não podemos ficar parados ou com investimentos medíocres.

 

O terceiro setor, conhecido como setor de serviços, cresceu muito nas últimas décadas. Os governos municipais, estaduais e federal precisam investir pesadamente na infraestrutura, principalmente na parte de estradas, aeroportos e portos, gerando assim um turismo mais participativo de países do mundo inteiro.

O Brasil irá crescer, mesmo que a passos lentos. Vamos acreditar e contribuir para que isso aconteça.

 

Sergio Henrique Miorin é Graduado em Engenharia Elétrica modalidade em Eletrônica pela USF – Universidade São Francisco, Pós-Graduado Especialista em Engenharia de Redes e Sistemas de Telecomunicações pelo INATEL – Instituto Nacional de Telecomunicações, Pós-Graduado Especialista com MBA em Gestão Empresarial pela FGV – Fundação Getúlio Vargas e mestrando em Educação pela Unisal. É Diretor Geral da SM – Consultoria, Treinamentos e Palestras, colunista no Jornal de Valinhos, consultor de empresas e leciona em instituições de ensino, em cursos técnicos, graduação, pós-graduação e MBA na IBE/FGV, Unisal, FAJ e Anhanguera.

Comentários

Notícias relacionadas