Portal SB24Horas

Conteúdo é aqui!

Como os jovens lidam com as finanças?

Os jovens estão preocupados com o orçamento, mas nem sempre conseguem manter as contas em dia

 

 

 

Apesar do que muita gente imagina, os jovens fazem, sim, planejamento financeiro pessoal.

Inclusive, eles costumam ser bem conservadores com o próprio dinheiro. Afinal, têm receio de perder o que conquistaram.

O que não significa que as finanças de todos estão em dia e sem qualquer problema. Falamos sobre isso a seguir, com dicas sobre como cuidar do orçamento.

Como são divididas as gerações

As gerações atuais são basicamente cinco. Começando pelos Baby Boomers, que foram a primeira geração do pós Segunda Guerra Mundial.

Em seguida, veio a Geração X, com nascidos entre as décadas de 1960 e a metade da década de 1980.

De meados de 1980 ao meio da década de 1990, nasceram os Millenials, da Geração Y. Depois, a Geração Z, nascidos a partir da 1990, e hoje a Geração Alpha, com nascidos de 2010 para cá.

Como é a relação dos jovens com as finanças?

Os jovens têm diferentes relações com as finanças, depende da realidade de cada um. Porém, na geração Z, é comum um perfil conservador, de investimentos simples como a poupança e uma maior estabilidade das finanças.

Isso porque, os jovens tendem a ter medo do que conquistaram. Especialmente em uma crise econômica permanente que já assola o Brasil há anos.

Por isso, as finanças costumam ser uma preocupação constante. E, para aqueles que têm maior dificuldade de se organizar, também podem ser um problema constante. As dívidas no cartão de crédito, por exemplo, não são incomuns.

Jovens e finanças digitais

Os jovens, em geral, têm mais facilidade com a internet e estão acostumados com a tecnologia. Por isso, eles confiam em fintechs e em aplicativos para cuidar do orçamento.

Para os mais jovens, ir ao banco e se sentar em frente ao gerente, ou mesmo sair de casa para fazer uma transferência é quase impensado. As finanças estão no meio digital, e as funcionalidades que a tecnologia oferece devem ser aproveitadas.

Planejamento financeiro para jovens

O número de brasileiros endividados, inclusive jovens, não é pequeno. Ao mesmo tempo, a grande maioria das pessoas não consegue guardar dinheiro.

Mas não significa que os jovens não se planejam financeiramente. O ponto é que alguns deles encontram maior dificuldade na tarefa, seja pelo descontrole financeiro, seja pela renda insuficiente.

Mas quando conseguem se planejar, os jovens aproveitam, de novo, da tecnologia. Existem vários aplicativos, para o computador e celular, em que é possível registrar tudo. Seus gastos e sua renda, o que torna mais simples controlar as finanças e então fazer um bom planejamento.

Comece desde cedo

Para quem ainda não se planeja financeiramente, é hora de começar. Quanto mais jovem você começa a controlar o orçamento, menores as chances de adquirir dívidas.

As dívidas, inclusive de cartões de crédito, são as grandes vilãs dos orçamentos. É preciso controlar bem as finanças para evitar que elas se tornem problemas de longo prazo..

Pior: para evitar que elas se tornem ainda mais caras e você perca dinheiro na hora de quitar os valores.

Um primeiro passo é optar por um cartão de crédito sem anuidade ou com outros benefícios. Você pode comparar diversas opções através de um simulador de cartão de crédito

Ao mesmo tempo, começar a se planejar desde cedo facilita realizar sonhos e objetivos. Como comprar um carro, imóvel próprio, fazer uma grande viagem de férias ou outro.

Além disso, se planejar pode ajudar no futuro, com sua aposentadoria. Claro que você ainda terá muitos anos pela frente até chegar lá. Porém, conseguir poupar dinheiro agora pode, por exemplo, garantir que você tenha uma renda maior quando parar de trabalhar formalmente.

Aproveite o presente com consciência

É comum gastar mais do que se deve, ou então gastar com supérfluos. São coisas que podem prejudicar sua vida financeira. Seja criando dívidas, seja dificultando a poupança de valores.

Por isso, uma dica é estabelecer hábitos saudáveis de consumo. Ou seja, gaste somente o que você tem, e tenha a certeza de valer a pena. Gastar por impulso é algo que pode gerar arrependimento, inclusive porque você vai usar valores que poderia gastar com outra coisa.

A dica é se educar aos poucos, para evitar qualquer mudança brusca no dia a dia. Mas é importante se esforçar e fazer cortes de gastos.

Você também precisa aprender a pesquisar antes de comprar, para poupar dinheiro. A compra por impulso pode sair mais cara do que o esperado. Essa pesquisa vai desde uma compra pequena, até questões maiores, como um empréstimo para realizar um sonho, por exemplo

Use o tempo a seu favor

Você ainda tem muito tempo pela frente. Então, use-o ao seu favor! Ou seja, invista seu dinheiro.

Existem vários tipos de investimento para o longo prazo, em que você deixa os valores parados por um tempo, e eles rendem mais

Mas também podem ser investimentos mais simples, com curto período. O importante é guardar dinheiro e ter a certeza de que ele vai render. Assim, seu orçamento vai se tornar mais atrativo e garantir maior poder de compra.

Considerações finais

Os jovens não são todos iguais. Enquanto alguns têm mais facilidade de cuidar do orçamento, outros não conseguem fazê-lo. Pode ser por uma simples desorganização, ou ainda por uma renda que não é mesmo suficiente para as despesas.

Não importa qual o seu perfil, porém, ele pode ser mudado. Significa que se você tem hoje problemas com as finanças, pode se organizar para resolver todos eles.

Será preciso apenas se dedicar e focar em um objetivo. O planejamento pessoal das finanças precisa ser definido e executado dia após dia, passo a passo. Assim, fica mais simples cortar ou reorganizar gastos.

Muitas vezes, é interessante até obter uma nova fonte de renda. Assim como “aposentar” o cartão de crédito, uma vez que ele costuma ser o principal vilão.

Mas se seu orçamento hoje está organizado, cuidado. Como dissemos, seu perfil pode ser mudado, e isso também considera a possibilidade de mudança para a pior.

Ou seja, descuidar das finanças, mesmo que por alguns momentos, pode ter um efeito desastroso. Não se planejar pode fazer você gastar mais do que tem.

Depois, pode ser preciso obter um empréstimo para quitar as dívidas. O empréstimo tem juros, o que vai tornar o débito maior, e o ciclo continua, se tornando uma bola de neve.

Então, tenha a certeza de estar sempre atento ao seu planejamento financeiro. E lembre-se de poupar dinheiro, mesmo que seja uma pequena quantia todo mês. O valor poderá ser um “salva-vidas” em momentos de emergência.