SB24Horas

Notícia na hora certa!

Como as empresas podem se preparar para quedas de energia?

Riscos de queda de energia serão altos entre outubro e novembro; veja como as empresas podem se proteger

O Brasil pode passar por uma séria pane elétrica nas próximas semanas. Segundo especialistas, o risco de apagões é alto entre os meses de outubro e novembro. Ainda, com a chegada do verão e o uso de ar-condicionado e ventiladores, esse risco provavelmente vai se estender para dezembro e janeiro.

Para organizações, evitar qualquer queda de energia é fundamental para manter a produtividade no trabalho. Além de materiais para negócios, a empresa precisa se preocupar em como se preparar para uma eventual pane elétrica. Afinal de contas, não apenas apagões podem causar queda de luz durante as atividades corriqueiras.

Home office

Uma forma de evitar um apagão total do trabalho é por meio do sistema híbrido ou home office. Isso porque, caso ocorra uma pane elétrica, nem todos serão afetados. É uma maneira mais econômica de se prevenir. Além disso, boa parte dos trabalhos será compartilhada em rede.

Isso não significa, no entanto, que a empresa deva delegar os gastos ao funcionário. Nesse caso, é preciso repensar a forma como se pode contribuir para os gastos do funcionário, oferecendo notebooks para o trabalho e/ou auxílio no pagamento da conta de luz.

Trabalho em rede

E, por falar em rede, atuar com esse sistema é praticamente obrigatório para quem depende da internet nos seus processos de trabalho. Isso porque ele permite dois fatores fundamentais: o compartilhamento de documentos e o salvamento automático.

Por exemplo: uma planilha com acesso compartilhado pode ser atualizada automaticamente para todos os usuários. O documento, claro, precisa estar em sistemas online em vez de programas separados, mas é uma forma que exige menos do computador e evita a perda de documentos.

Conhecendo a rede elétrica local

Uma forma de preparar a estrutura da empresa para eventuais panes elétricas é conhecendo a rede elétrica local. Isso é fundamental não apenas para quedas de energia causadas por um problema externo, mas também para saber como anda a saúde do sistema elétrico do espaço.

Documentação do sistema

A documentação atualizada do seu sistema é fundamental para o profissional responsável pelo sistema. Por isso, sempre mantenha atualizado o diagrama unifilar (desenho que representa a instalação elétrica local). Ele deve refletir com precisão toda a parte elétrica do local, incluindo classificações de equipamentos.

Cargas críticas

Com todo o sistema elétrico documentado, é hora de avaliar a alimentação das cargas elétricas — especialmente as críticas, que exigirão energia de emergência em caso de falta de luz.

Normalmente, o gerador de emergência (que será citado no tópico a seguir) não pode ser fornecido para todas as cargas da instalação. Portanto, é preciso decidir quais equipamentos não podem ser interrompidos durante uma queda de energia. Quando identificadas, elas devem ser marcadas no diagrama como “cargas de emergência”.

Gerador de energia

O gerador é um equipamento que transforma energia mecânica em elétrica. Funciona como uma “energia-reserva”: assim que ocorre a queda, ele é ativado. A partir daí, ele mantém aparelhos, luz elétrica, máquinas e sistemas funcionando normalmente.

Embora não seja tão comum em residências (exige alto investimento financeiro), o gerador é um investimento mais do que recomendado para empresas. Além de não interromper o fluxo de trabalho, ele permite que toda a organização continue operando normalmente.

Outra vantagem do gerador é contribuir com a diminuição do consumo de energia elétrica em horários de pico (entre 18h e 21h). Apesar de ter alto custo, evita sérios problemas em locais que necessitam de consumo de energia contínuo, como hospitais, shoppings, indústrias, hotéis, construção civil e eventos de grande porte.

Nobreak

Escritórios, agências e empresas que utilizam muitos computadores desktop sabem como uma queda de energia pode ser prejudicial à produtividade. Além de impedir a continuação do trabalho, ela pode fazer com que se perca tudo o que foi produzido e não previamente salvo. Por fim, pode até mesmo queimar um ou mais aparelhos. Nesse caso, o uso de nobreak é essencial.

Também conhecido como UPS ou fonte de energia ininterrupta, o nobreak é um aparelho com bateria interna que oferece autonomia ao desktop ligado a ele. Quanto maior a bateria do nobreak, maior o tempo de autonomia do aparelho.

Quando ocorre a queda de energia, ele segura o aparelho funcionando por, em média, uns 15 minutos — tempo suficiente para que o usuário consiga salvar e fechar todos os programas. Assim, ele pode desligar o computador com segurança, sem riscos de perder trabalhos ou queimar o hardware.

A grande vantagem é que o nobreak não funciona apenas com desktops, mas também com servidores, equipamentos de CFTV, portões eletrônicos, máquinas especiais de processos industriais, equipamentos médicos de diagnóstico, ressonância magnética, ultrassom e demais aparelhos que precisam ficar ligados ininterruptamente.