Com avaliação na Unicamp, base do Vôlei Renata inicia temporada 2019

Depois de um 2018 recheado de conquistas, a base do Vôlei Renata retornou aos trabalhos no Ginásio do Taquaral, em Campinas, nesta semana, para mais uma temporada. Meninos entre 15 e 20 anos iniciaram a rotina de treinamentos com avaliação física e, claro, muito treinamento. Os atletas se apresentaram e realizarem exames médicos, que serão complementados durante as próximas semanas. Logo em seguida, os jovens foram para a academia. Durante a pré-temporada, também está agendada uma avaliação cognitiva individual comandada pela coach Larissa Zink. As categorias de base do Vôlei Renata serão compostas por 40 jovens, divididos em três categorias: Juvenil (8), Infanto (16) e Infantil (16). Os times infanto (sub-19) e juvenil (sub-21) começaram os trabalhos desfalcados por atletas que estão disputando a Superliga B e o Campeonato Brasileiro de Seleções. A filosofia de trabalho, porém, será aprimorar o desenvolvimento dos jovens e integrar as categorias, inclusive com o time profissional.

“Em 2018, tivemos inúmeras conquistas e colocamos atletas à disposição do adulto. Nesta temporada, queremos manter o processo de evolução e seguir unificando as categorias nos treinamentos e jogos”, comentou o supervisor das categorias de base do Vôlei Renata, Guilherme Muller. O processo de inserção dos jovens teve ainda mais força em 2018. Destaques no time sub-21 e sub-19, os jovens Renan, Dani, Matheus, Bruno Bello, Paolinetti, Angellus e Mossa subiram para elenco adulto e estão disputando a Superliga Masculina. Os dois primeiros, inclusive, são titulares absolutos do técnico Horácio Dileo. UNICAMP – A novidade na pré-temporada da base do Vôlei Renata em 2019 foi a realização de uma avaliação física feita Laboratório de Crescimento e Desenvolvimento (LabCreD), do Centro de Investigação em Pediatria (CIPED), da Faculdade de Ciências Médicas (FCM) da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp). Na primeira bateria, os jovens da categoria infantil foram avaliados com medidas de peso, estatura, análise da composição corporal por bioimpedância elétrica tetrapolar e densitometria óssea de corpo inteiro, além da força de ambas as mãos por dinamometria. Na próxima semana, será a vez do sub-19 passaram pela análise e, posteriormente, os juvenis. As avaliações foram organizadas pelo Prof. Dr. Anderson Marques de Moraes, da Faculdade de Educação Física (FAEFI) da Pontifícia Universidade Católica de Campinas (PUC-Campinas), pós-doutorando do Grupo de Pesquisa do LabCreD e Coordenador de Esportes de Rendimento da Secretaria Municipal de Esporte e Lazer (SMEL) da Prefeitura Municipal de Campinas. As avaliações contaram com a participação de Evando de Lázari (FEF-UNICAMP) e Raiany Rosa Bergamo (CIPED-FCM-UNICAMP). “Poucos times tem a oportunidade de realizar uma avaliação tão completa e aprofundada, que vai servir para evitar possíveis lesões e nortear o trabalho da preparação física nessa fase de desenvolvimento que os atletas estão. Por isto, agradecemos ao Secretário de Esportes de Campinas, Dr. Dario Saadi, e ao coordenador do LabCreD Prof. Dr. Gil Guerra-Júnior, pelo prestígio”, acrescentou Muller. CONQUISTAS – Em 2018, as três categorias de base do Vôlei Renata subiram no pódio da série ouro do Campeonato Paulista. A equipe sub-17 faturou o bronze no Estadual, enquanto o time sub-21 foi campeão Copa Bandeirantes, equivalente ao primeiro turno, e ficou em terceiro lugar no Paulista. O ano de conquistas foi coroado pelo título estadual da equipe sub-19. Ainda, com jogadores das três categorias, a base do time campineiro levou o ouro dos Jogos Abertos da Juventude, em Franca, e a prata nos Jogos Regionais, em Santa Bárbara D’Oeste.

A base é uma das partes importantes do projeto do Vôlei Renata. Os meninos recebem acompanhamento escolar, médico, fisioterápico, nutricional, odontológico, plano de saúde, auxílio-transporte e moradia. O juvenil conquistou duas vezes o Paulista (2012 e 2013), terminou como vice em 2011 e 2017, foi campeão da Copa São Paulo (2013), além de representar Campinas três vezes nos Jogos Abertos do Interior e terminar com a medalha de prata em 2013 e 2014 e o bronze em 2016. Ainda, o infanto tem dois títulos da série prata do Paulista (2012 e 2013) e conquistou o torneio início em 2011, além do Estadual de 2015 e da medalha de prata em 2016. Já o infantil foi vice-campeão Paulista em 2014, medalha de prata na Copa São Paulo no mesmo ano e faturou o título da série prata do estadual em 2016.

 

Comentários

Notícias relacionadas