Portal SB24Horas

Conteúdo é aqui!

Variedades

Checklist para criar uma página de vendas como afiliado

Se tem algo que a internet trouxe foi a possibilidade do surgimento ou ampliação de formas de ganhar dinheiro. É o caso do marketing de afiliado, que permite que qualquer pessoa venda ou divulgue produtos em troca de uma comissão preestabelecida.

Quando se ouve falar em propostas do tipo “Ganhe dinheiro enquanto dorme”, geralmente é desse tipo de marketing que se está falando. Basta isso para lembrarmos que essa forma de venda é antiga, e incluía desde perfumes até churrasqueiras.

Com o advento da internet essas possibilidades se ampliaram bastante. Inclusive, pouca gente sabe, mas é possível gerar links que “rastreiam” um comprador, no sentido de identificar qual é a origem daquela venda, e poder remunerar o afiliado que a ocasionou.

Hoje são muitos os profissionais que vivem apenas de fazer esse tipo de venda. A diferença para o vendedor comum é que não há vínculo empregatício, e o mesmo afiliado pode variar seu portfólio, trabalhando com várias marcas, e não apenas uma.

Tal como nas vendas tradicionais, além da comissão é possível contar com bônus e premiações tanto de metas batidas, quanto de reconhecimento. Em alguns casos, há planos de expansão, que seriam mais ou menos como uma promoção de cargo na empresa.

Como no marketing de afiliados não há limite da quantidade de marcas, é possível automatizar o processo de maneira escalável. Aí é que entram as páginas de vendas e os sites especialmente desenvolvidos para isso.

Além disso, a internet permite o comércio de outros tipos de produtos, que vão muito além de roupas, perfumes ou mesmo eletrodomésticos convencionais. Alguns exemplos são os infoprodutos, tais como:

  • E-books e cursos;
  • Programas de gestão online;
  • Aplicativos de celular;
  • Serviços de hospedagem;
  • Videogames e afins;
  • Computação na Nuvem;
  • Entre muitos outros.

Agora, tendo explicado o conceito e a funcionalidade do marketing de afiliados, vamos ao checklist sobre os pontos essenciais para você criar uma página de vendas como afiliado.

Então, para entrar nesse universo incrível, basta seguir adiante na leitura.

Em qual nicho de mercado trabalhar?

O primeiro passo para qualquer negócio online é reconhecer o nicho e o público-alvo com o qual se pretende trabalhar. No caso do marketing de afiliados, isso é fundamental, sobretudo se você for lidar com mais de uma marca.

É uma ilusão achar que basta subir páginas de vendas com a descrição fria dos produtos, como se tanto fizesse o site trazer um produto de indústria química ou uma pasta polimento joias. Na verdade, cada solução precisa “falar a língua” do público.

Caso você ainda esteja nas etapas de decidir em qual nicho vai atuar, vários pontos podem ajudar na decisão, por exemplo o quanto você conhece os perfis daquela persona. Ou seja, se você domina os anseios dela.

O conceito de persona implica criar personagens “semifictícios”, com nome e até foto de pessoas reais. As perguntas que podem ajudar nesse esforço são:

  • Onde meu cliente ideal está?
  • Quais redes sociais mais utiliza?
  • O que o atrai nesse nicho?
  • O que ele faz nas horas vagas?
  • Como consome notícias e novidades?
  • O que adora que uma marca faça?
  • O que odeia que uma marca faça?

Imagine, na prática, se o perfil é um gerente de compras de uma indústria de embalagens de papelão ondulado. Não é difícil notar como essa estratégia ajuda, não é mesmo? Com ela, cada ação ou campanha de marketing será criada tendo em vista o alvo.

No caso do marketing de afiliados, é possível criar dois ou três perfis para cada produto. Não é indicado fazer apenas um perfil (pois seria pouco abrangente), nem mais do que três, pois seria uma dispersão prejudicial.

Seja como for, com isso sua página de vendas vai impactar o público de maneira muito mais assertiva e proveitosa.

Como vender uma solução diferenciada

Depois de definir o nicho e o público, é preciso reforçar sua identidade visual e verbal, criando uma marca no sentido mais profissional do termo. Hoje em dia as grandes marcas têm até filosofia e cultura organizacional, sem o que certamente não seriam tão grandes.

Um modo prático de qualquer afiliado fazer isso, mesmo que trabalhe sozinho e por conta, é focando na solução que será prestada. Ou seja, não fale em “produtos” ou “vendas”, fale em soluções que você presta para resolver uma dor na vida das pessoas.

Se uma marca fosse trabalhar com raspagem de piso de madeira SP, ela poderia focar em vários pontos consideravelmente mais interessantes do que apenas higienizar o piso. Por exemplo, a questão da saúde, já que o acúmulo de ácaros faz mal.

Outra abordagem possível seria a da beleza do local, e de como a limpeza dá uma sensação de amplitude, o que gera satisfação em qualquer pessoa, uma vez que passar o dia num cômodo se sentindo confinado é algo que faz mal, e daí em diante.

Onde entra a criação de conteúdo?

Engana-se muito quem pensa que uma página de vendas pode ser feita apenas com uma boa dose de gatilhos de vendas. Embora haja gatilhos mentais muito eficientes, nada substitui a qualidade do conteúdo que você gera.

Daí termos discutido acima a importância do nicho e da persona. No fundo, tudo tem a ver com você ser capaz de se conectar com as pessoas. Hoje as gerações mais novas têm muito mais acesso à leitura e às informações, então são mais exigentes.

Se uma empresa de sistema de segurança quer ter presença digital, ela precisa criar um blog, gerar conteúdos e artigos interessantes, além de posts nas redes sociais. Ademais, se não interagir não vai gerar um engajamento real.

No caso da página de vendas vale a mesma situação, até porque, além da qualidade da informação que você vai levar, é possível fazer o posicionamento da página, como ficará claro adiante. 

O importante é investir em conteúdo, sejam textos ou mesmo vídeos explicativos.

Por dentro da otimização da página

Quem já trabalhou com marketing digital sabe da importância dos motores de busca, como o Google, o Bing e o Yahoo, que são os mais utilizados no Brasil.

Realmente, se as suas páginas de vendas aparecerem nessas buscas, seu resultado vai vir muito mais rápido. Para isso, siga sempre as boas normas do SEO (Search Engine Optimization), que é a Otimização Para Motores de Busca.

Se você procurar agora por algo como “limpeza de fossa”, que pode ser um serviço urgente, vai encontrar milhares de resultados, porém só os que aparecem nas primeiras páginas têm um bom retorno, então é por elas que você precisa lutar.

O que é, afinal, uma landing page?

Quando se fala em “página de vendas” de maneira genérica, é possível entender que se trata de um e-commerce, não é mesmo? É verdade que o termo pode remeter a qualquer site de vendas, mas também a algo específico, que são as landing pages.

Nos últimos anos elas se tornaram uma das estratégias mais importantes do marketing digital. Imagine que você quer vender algo como conjunto motobombas a diesel, como seria uma página que fizesse o cliente prestar atenção apenas nesta oferta?

Em vez de banners, menus e várias dispersões do tipo, você poderia criar algo exclusivo falando do produto, não é mesmo? É disso que a landing page se trata, por isso a taxa de conversão dela é bem maior, e produtos de afiliados podem vender muito mais.

Uma dica de ouro, para ampliar ainda mais o retorno, é criar bons CTAs, que são as Call to Actions ou “Chamadas para Ação”. Assim, por meio de comandos imperativos, você conduz a tomada de ação do visitante, levando-o a comprar.

Tanto que as landing pages são usadas até para captação de leads. Pode parecer detalhe, mas dizer algo como “Clique aqui para conhecer todos os segredos da manutenção de geradores” é diferente de não dizer nada, e deixar o leitor sair sem realizar nenhuma ação.

Bônus: a importância das métricas

Se a sua página de vendas já está no ar, mesmo que ainda não tenha vendido nada, já é possível fazer uma série de análises que podem ajudar e muito nas estratégias.

Um dos pontos fortes do marketing digital é que ele permite a qualquer um acompanhar as métricas mais detalhadas que se pode imaginar. Por exemplo, o site pode mostrar o bounce rate, que é a “taxa de rejeição”.

Cruzando ela com o tempo que as pessoas permanecem na página, é possível concluir se há algo de errado com seus conteúdos, por exemplo. No futuro, cada campanha de venda deve ser analisada com base nos números.

Se um site trabalha como fornecedor de papel toalha e higiênico, imagine a quantidade de itens que ele pode ter anunciado, que são do mesmo nicho de mercado. Com o tempo, ele vai mantendo no portfólio apenas os mais rentáveis, lucrativos e assertivos.

Se você faz um marketing de afiliados com várias marcas, pode aplicar a mesma regra. Ou ainda, com os itens de uma mesma marca, como sobre os perfumes mais vendidos, etc.

Com essa checklist, fica claro como é possível criar uma página de vendas arrasadora e tornar o marketing de afiliados muito mais eficiente e lucrativo.

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.