CEI dos Transportes convoca secretário municipal de Governo para prestar depoimento

Em nova reunião na tarde desta segunda-feira (2), a CEI (Comissão Especial de Inquérito) dos Transportes decidiu convocar o secretário municipal de Governo, Rodrigo Maiello, para que o representante do Executivo fale sobre a intervenção feita na VIBA (Viação Barbarense) e a repeito do atual contrato firmado entre a Prefeitura e a empresa Sertran – Sertãozinho Transportes, atual responsável pelo transporte coletivo no Município. Além dele, a CEI também deve convocar os contadores Maria Aparecida Vicentini e Antonio de Lima, que acompanharam a intervenção, e Renato Antonio Soares, ex-gerente da VIBA. As oitivas devem ser promovidas na próxima semana.

Na tarde de hoje, a comissão analisou documentos entregues pelo coordenador de Transportes do Município, José Vladeir Truzzi, e pelo diretor da VIBA, Laurindo Gonçalves de Souza. Segundo Wilson de Araújo Rocha, o Wilson da Engenharia (PSDB), presidente da CEI, ainda faltam muitos documentos para serem analisados, os quais são esperados pela comissão, principalmente com relação ao período de intervenção na VIBA, entre 2009 e 2013. Por isso, a comissão deve pedir prorrogação de prazo na Reunião Ordinária desta terça-feira (3).

Além de Wilson da Engenharia, a CEI dos Transportes é composta pelo relator Emerson Luis Grippe – Bebeto (SD), e pelos membros Alex Braga – Alex Backer (PV), Carlos Fontes (PSD), e Antonio Carlos Ribeiro – Carlão Motorista (PDT), representado na reunião de hoje pelo seu assessor Leo Toffaneto. A reunião desta terça-feira contou com também com a presença do vereador Giovanni Bonfim (PDT).

O prazo para investigação da CEI, conforme previsto no Regimento Interno da Câmara, é de 90 dias, podendo ser prorrogado por igual período. Como o próprio nome indica, uma CEI é uma comissão do Poder Legislativo, que faz investigação sobre fatos determinados e que, ao final, é resumida num inquérito. Apesar de contar com poder de investigação próprio das autoridades judiciais, com a possibilidade de requisitar documentos e intimar testemunhas, a CEI não julga as pessoas: ela investiga fatos e, ao final, encaminha um relatório para as autoridades competentes.

Comentários

Notícias relacionadas