Portal SB24Horas

Conteúdo é aqui!

CEDOC da Fundação Romi inicia a circulação da exposição “Imagens Reveladas. Tesouros Escondidos”

O Centro de Documentação Histórica – CEDOC da Fundação Romi está executando, desde dezembro de 2019, o projeto “Imagens Reveladas. Tesouros Escondidos” um trabalho de preservação e difusão da coleção do fotógrafo Augusto Strazdin, pertencentes ao seu acervo formado por imagens em papel, negativos de vidro e flexíveis produzidos entre às décadas de 1930 e 1980. A partir do mês de setembro será realizada mais uma fase do projeto: a EXPOSIÇÃO ITINERANTE. O primeiro local a receber a exposição é a Praça 9 de julho, localizada em frente ao Centro de Memórias Historiador Antonio Carlos Angolini. A exposição poderá ser visitada de 20 a 24 de setembro de 2021, das 8h às 16h30.

A mostra, que recebeu o mesmo nome do projeto, inicia sua circulação por lugares públicos de Santa Bárbara d’Oeste porque já se concluiu o trabalho de registro, digitalização, catalogação, higienização e acondicionamento do acervo do fotógrafo. Esse material está disponível para pesquisa no banco de dados do CEDOC em cdoc.fundacaoromi.org.br. “A exposição apresenta 34 fotografias produzidas por Augusto Strazdin distribuídas em 7 painéis que mostram a trajetória do fotógrafo, o registro que produziu da cidade além de retratos feitos no seu estúdio ‘Fotografia Santa Bárbara’”, enfatiza a coordenadora do CEDOC da Fundação Romi Sandra Edilene de Souza Barboza.

Augusto Strazdin (1900-1986) nasceu na Letônia e, em 1927, veio para o Brasil. Como fotógrafo trabalhou em muitas cidades até se estabelecer em Santa Bárbara d’Oeste e, em 1937 montar o estúdio “Fotografia Santa Bárbara”. Por mais de 40 anos produziu muitos retratos, e também fez inúmeras imagens de Santa Bárbara d’Oeste que são de extrema significação para o resgate da memória e da história local, pois, retratam a arquitetura, o cotidiano, a ocupação e o desenvolvimento da cidade.

Para a exposição foram produzidas 16 imagens de edifícios que Strazdin fotografou no passado para que de forma comparativa o público possa visualizar o antes e o depois como a Igreja Matriz Santa Bárbara, EE. José Gabriel de Oliveira, EE. Professor Inocêncio Maia, ETA 1 entre outros. Esse projeto é   apresentado pelo Ministério do Turismo, por meio da Secretaria Especial da Cultura, e com o patrocínio da Indústrias Romi, por meio da Lei Federal de Incentivo à Cultura.

Serviço- A exposição “Imagens Reveladas. Tesouros Escondidos” pode ser visitada de 20 a 24 de setembro de 2021, na  Praça 9 de julho, localizada em frente ao Centro de Memórias Historiador Antonio Carlos Angolini, das 8h às 16h30.

Sobre o CEDOC

O Centro de Documentação Histórica da Fundação Romi é um espaço vivo de preservação da história, que além de resgatar todo o passado histórico de Santa Bárbara d’Oeste e região, atua na guarda, conservação e disponibilização do acervo da Fundação Romi e da Indústrias Romi – com destaque para o acervo do Romi-Isetta. Além de um espaço expositivo vivaz e dinâmico, o CEDOC realiza o projeto de Educação Patrimonial para crianças e adolescentes, realiza o Processamento Técnico de todos os documentos recebidos e ainda recebe exposições e palestras, promove visitas monitoradas e técnicas, oficinas de capacitação e experimentação. O CEDOC está localizado na Avenida João Ometto, 200, Jd. Panambi, em Santa Bárbara d´Oeste. (19) 3499-1558. www.fundacaoromi.org.br/cedoc.

Sobre a Fundação Romi

Seu legado iniciou em 1957, em Santa Bárbara d’Oeste, pelo casal Américo Emílio Romi e Olímpia Gelli Romi. Tendo como missão promover o desenvolvimento social e humano através da educação e cultura, a Fundação Romi é pioneira na promoção da comunidade regional e na realização de ações sociais, beneficiando mais de 30 mil pessoas, por ano, através de seus dois grandes eixos: Educação e Cultura. Mantenedora do Núcleo de Educação Integrada, sua escola de Educação Infantil, Ensino Fundamental e Médio, oportuniza a formação integral, autônoma e protagonista de crianças, adolescentes e jovens. Além disso, promove, por meio de seu Centro de Documentação Histórica, projetos de educação patrimonial para crianças do Ensino Fundamental I, para reconhecimento e conhecimento da história local como elemento de cultura e cidadania. Somado a isso, seu Centro de Documentação Histórica também realiza o Processamento Técnico da memória do município para guarda, preservação e disponibilização do acervo à população para consulta e pesquisa. Dentre as unidades da Fundação Romi também está a Estação Cultural de Santa Bárbara d´Oeste que, por meio de oficinas livres, culturais e de formação, projetos de fomento à economia criativa, de elevação do status cultural e de ações socioeducativas atende milhares de pessoas por ano. A Fundação Romi está localizada à Avenida João Ometto, 200, Jd. Panambi, em Santa Bárbara d´Oeste. (19) 3499-1555. www.fundacaoromi.org.br.