CCZ segue com monitoramento da dengue

O Centro de Controle de Zoonoses de Santa Bárbara d’Oeste, por meio do Setor de Combate a Endemias, prossegue com o projeto de monitoramento sistemático dos índices de infestação do Aedes Aegypti, mosquito transmissor da dengue. Dos 159 imóveis onde as armadilhas foram instaladas, 16 apresentaram resultado positivo para ovos do mosquito. O coordenador do Centro de Controle de Zoonoses, Alexandre Visockas, explicou que quando o resultado é positivo para ovos uma série de ações é desencadeada para evitar a criação do mosquito e o aparecimento da doença. “Os moradores desses bairros devem redobrar os cuidados para evitar objetos que acumulem água e podem se tornar criadouros do mosquito, como pratinhos de vaso, pneus, encerados e lonas, baldes, garrafas, copos plásticos e objetos inservíveis”, disse.

 

Visockas destacou ainda, que além de inovadora a ação visa impedir a criação do mosquito antes que ele se contamine com a doença. “Estamos trabalhando com a prevenção e as armadilhas servem para que peguemos o mosquito antes que ele se contamine e pique as pessoas. Não queremos mais trabalhar em cima de casos confirmados e sim evitar que as pessoas fiquem doentes”, completou.

A ação teve início no dia 15 de setembro, onde foram selecionados 159 imóveis em toda a área urbana do município, seguindo uma grade de 250 metros de raio de distância entre as armadilhas. Desta forma, todas as regiões do município passaram a ser monitoradas semanalmente quanto à presença do mosquito vetor da dengue. As ações de controle do mosquito serão intensificadas nas áreas onde forem detectados altos índices de infestação. A medida tem o objetivo de prevenir a transmissão do vírus a partir do controle da população do mosquito.

 

As ações de controle do vetor realizadas pelos agentes de controle de endemias são as visitas domiciliares para inspeção e orientação à população quanto às medidas preventivas, arrastão de retirada de criadouros, bloqueio e controle de criadouros, nebulização e bloqueio de transmissão, visita a pontos estratégicos e imóveis especiais, busca ativa de suspeitos e atividades de informação, educação e comunicação à população. Em caso de aparecimento de sintomas como febre alta, dor de cabeça, dor no fundo dos olhos e manchas pelo corpo, a pessoa deve procurar atendimento médico imediatamente.

 

Comentários

Notícias relacionadas