24Horas Política 

Carlão questiona valor gasto pela Prefeitura em recente campanha publicitária


O vereador Antonio Carlos Ribeiro, o Carlão Motorista (PDT), protocolou, nesta semana, um pedido de informações quanto ao valor gasto pela Prefeitura em campanhas publicitárias veiculadas no Youtube, Facebook e Instagram. O parlamentar ressalta uma campanha maciça por meio da Internet e de aplicativos de mensagens, na qual o Poder Executivo exalta as obrigações inerentes ao exercício da Administração Pública, com postagens patrocinadas em redes sociais e sites de notícias da região.

Carlão ressalta, ainda, que alguns fatos apresentados nesse material publicitário não condizem com a realidade, como o número de moradias anunciadas como casas populares. O parlamentar lembra que um dos empreendimentos apresentados é privado e que qualquer cidadão pode adquirir uma das unidades, mesmo não vivendo em Santa Bárbara d’Oeste, desde que disponha de condições financeiras para arcar com as parcelas e com o elevado valor solicitado pela construtora como sinal de entrada. “A realização e divulgação em massa desses vídeos revoltou muitos moradores e servidores municipais, que reclamam de falta de medicamentos, de leitos em UTI e de materiais básicos para atendimento nas unidades de saúde, entre outros problemas”, disse.

No documento, Carlão pergunta qual o valor total gasto com publicidade pela Administração Municipal desde 2013, assim como o nome da agência responsável por esse serviço. Ele questiona, também, se os custos dos vídeos divulgados recentemente estão englobados no valor empenhado de gastos com publicidade para 2016. O parlamentar indaga, ainda, o valor de produção de cada um dos sete vídeos postados ao longo dos últimos dias. No total, o vereador apresentou 44 questões, pedindo informações específicas e detalhadas a respeito de cada um dos vídeos e da maneira como foram produzidos.

Nos questionamentos, Carlão aponta também diversas discrepâncias entre essas peças publicitárias e a realidade, como a disponibilização de uma ambulância em frente ao Centro Médico de Especialidades, onde não são efetuados atendimentos de emergência, ou a presença de guardas municipais com diciclos na praça Central, o que também é incomum. A falta de distribuição de uniformes desde 2014, enquanto uma das alunas do vídeo é vista com agasalho da Prefeitura, e o anúncio de nova frota para a Guarda Civil, ao mesmo tempo em que circula na Internet um vídeo de servidores empurrando uma viatura sem bateria, são alguns dos pontos citados pelo parlamentar.

Comentários

Leia também...