Capivari: Em coletiva, Prefeito fala sobre queda na arrecadação e desenvolvimento do município


Mesmo com queda de 19,7% na arrecadação, Capivari vive hoje um grande momento com a vinda de novas empresas e a instalação de empreendimentos habitacionais.

 

A queda na arrecadação, desenvolvimento econômico e habitacional do município foi tema da coletiva de imprensa realizada nesta manhã de quinta-feira(17). Na oportunidade o prefeito, Rodrigo Proença, ressaltou que Capivari registrou uma queda de 19,7% na arrecadação referente a soma das cinco maiores fontes de receita do município: FPM (Fundo de Participação de Municípios), ISS (Imposto Sobre Serviços), IPTU (Imposto Predial e Territorial Urbano), IPVA (Imposto sobre Propriedade de Veículos Automotores) e ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços). Esses impostos equivalem a 72% do orçamento.

Para o ano de 2015 era estimada uma arrecadação de R$ 95,9 milhões, mas, se o quadro continuar o mesmo, a previsão é que sejam recolhidos apenas R$ 80.063.829,43. Para se ter uma ideia o ISS teve uma queda de 51,6%, IPTU (-39%), ICMS (-20,7%), IPVA (-13,7%) e FPM (-5,4%).

Entretanto, mesmo com a queda, o município está em pleno desenvolvimento econômico com a instalação de seis novas empresas e três ampliações, o que gerará mais de 500 empregos. “Para trazer uma empresa multinacional é necessário ter uma ótima infraestrutura. Nós conquistamos a vinda de três organizações desse porte graças a investimentos como: o asfaltamento e instalação da ETE [Estação de Tratamento de Esgoto] no DIC I e a Lei de Incentivos Fiscais”, ressaltou o prefeito.

Outro avanço é na área habitacional. São 15 empreendimentos em execução com a oferta de 1.896 unidades habitacionais. Além disso, outros oito estão em fase de negociação. “Há quanto tempo não víamos a venda de tantos loteamentos em Capivari? Isso é importante tanto para a abertura de empregos na construção civil quanto para a queda no preço de alugueis”, disse Rodrigo Proença.

De acordo com ele, para enfrentar a queda na arrecadação foram tomadas medidas como a diminuição de Secretarias, corte de comissões, de horas extras e gratificações, entre outros. Porém, os serviços não pararam e foram realizados concursos públicos que contrataram 220 profissionais para a Educação e 93 para a Saúde, devido ao aumento da demanda e da estrutura. Também foram repassados subvenções à Santa Casa que até o final do ano totalizará R$ 1,8 milhão, além de repasses às entidades assistenciais. “Todo o País passa por problemas na arrecadação, mas estamos trabalhando para que o município de Capivari continue oferecendo os serviços necessários à população, ao mesmo tempo em que se desenvolve”, finalizou o prefeito, Rodrigo Proença.

Assessoria

Comentários

Notícias relacionadas