fbpx

Portal SB24Horas

Conteúdo é aqui!

Brasil terá 15 representantes em torneios internacionais de robótica

Foto: Red Rabbit, Jedi’s e Mega Snakes, todas de São Paulo, foram as grandes campeãs de 2016

Equipes campeãs da etapa nacional do Torneio de Robótica FIRST LEGO League, promovido pelo SESI, foram conhecidas no fim da tarde deste domingo (20). Mais de 700 estudantes de escolas públicas e particulares de todo o país participaram da disputa, em Brasília

As melhores equipes de robótica do Brasil foram anunciadas neste domingo (20), em Brasília, na grande final do Torneio de Robótica FIRST LEGO League (FLL), competição organizada pelo Serviço Social da Indústria (SESI). Dentre 77 times, os 15 com melhor desempenho garantiram vagas para representar o país em torneios internacionais nos Estados Unidos, Austrália, Espanha e Filipinas (confira tabela abaixo).

São equipes de escolas públicas e particulares de São Paulo, Paraná, Rio de Janeiro, Sergipe e Alagoas. As três primeiras colocadas são de escolas SESI de São Paulo: a Red Rabbit, de Americana, seguida pela Jedi’s, de Jundiaí, e pela Mega Snakes, de Boituva. As equipes escolhem para qual festival internacional querem ir de acordo com a classificação nesta etapa nacional.

O estudante da Red Rabbit Luiz Felipe Nascimento, 15 anos, diz que essa foi uma conquista muito especial para todos do grupo. Afinal, é a primeira vez que o time consegue uma vaga para um torneio internacional. “Eu nem sei como descrever o que eu estou sentindo. Nós batalhamos o ano inteiro por isso e agora foi a consagração. O essencial para esse resultado foi um acreditar no outro”, conta emocionado.

Para o diretor de operações do SESI, Marcos Tadeu de Siqueira, o torneio superou todas as expectativas, tecnicamente, em relação ao desempenho das equipes, e também e pela participação do público. “Isso mostra que a nossa missão de estimular os jovens a investir nas áreas de engenharias e tecnologias, por meio da robótica, foi cumprida. Neste ano tivemos um recorde na participação de equipes”, afirma.

O Brasil nos torneios internacionais
Equipe Para onde vai
Red Rabbit/SP World Festival/EUA
Jedi’s/SP World Festival/EUA
Conectados/PR World Festival/EUA
RoboCOE/SE Campeonato Norte-Americano/EUA
Mega Snakes/SP Aberto Europeu/Espanha
Thunderbóticos/SP Aberto Europeu/Espanha
Robotics School/SP Aberto Europeu/Espanha
TechCOE/SE Aberto Europeu/Espanha
AC/DC/EG/SP Aberto Europeu/Espanha
TecMade/AL Aberto Europeu/Espanha
FrancoDroid/RJ Aberto Europeu/Espanha
Insabots/SP Aberto Ásia-Pacífico/Austrália
Roboecus/SP Aberto Ásia-Pacífico/Austrália
Fênix/SP Aberto Asiático/Filipinas
Robotic Generation/SP Aberto Asiático/Filipinas


A TEMPORADA
– A etapa regional da competição, que nesta temporada teve como tema Trash Trek (caminhos do lixo), foi realizada em nove estados, com mais de 4 mil competidores de 500 escolas. Apenas 77 equipes garantiram vaga na fase nacional, em Brasília. Durante o maior torneio de robótica do Brasil, os 700 estudantes de 9 a 16 anos mostraram, na teoria, com projetos de pesquisa, e na prática, com robôs de LEGO, as propostas para lidar com o lixo. Os robôs autônomos cumpriram missões na mesa de competição como, por exemplo, levar determinado tipo de lixo para um aterro.

Além do projeto de pesquisa e do desafio do robô, as equipes foram avaliadas em mais duas categorias: design de robô, em que os alunos planejam, projetam, constroem e programam os robôs e core Values, na qual o que conta é o trabalho em equipe, o respeito e a integração.

Na cerimônia de premiação, os organizadores também anunciaram o tema da próxima temporada do torneio, realizado mundialmente: Animal Allies, em que os estudantes vão explorar a relação entre pessoas e animais.

APRENDIZAGEM – Ao inserir a robótica em sala de aula, o torneio estimula o aprendizado de conteúdos de física, química, biologia e matemática, com mais inovação, criatividade e raciocínio lógico. A competição também incentiva os alunos a escolherem carreiras nas áreas de engenharias e tecnologias, fundamentais para a inovação nas empresas.

Desde 2013, o SESI é o operador oficial do Torneio de Robótica FLL, em parceria com a instituição norte-americana FIRST (For Inspiration and Recognition of Science and Technology) e o Grupo LEGO Education (Dinamarca).

Por Aerton Guimarães e Sirlei Pires
Foto: José Paulo Lacerda
Da Agência CNI de Notícias

Comentários

Dennis Moraes