SB24Horas

Notícia na hora certa!

Biocombustíveis: o que são, vantagens e desvantagens?

Quando o assunto é preservação ambiental, efeito estufa e alternativas para tornar o planeta um lugar menos poluído, os biocombustíveis sempre estão em pauta. Nas últimas décadas, muito se discutiu, pesquisou e investiu em meios sustentáveis para a indústria. 

 

Assim, a busca constante é em prol de unir tecnologia, crescimento e sustentabilidade, por isso, os biocombustíveis estão entre as opções mais viáveis. Mas será que esta fonte de energia é 100% benéfica ao planeta? 

O que são biocombustíveis?

Os biocombustíveis são combustíveis derivados de fontes renováveis, em outras palavras, combustíveis produzidos a partir de matéria orgânica. Servindo de atuação em muitas frentes, desde o auxílio em serviço de Rip Rap até a geração de energia. 

 

Existem biocombustíveis muito populares, mesmo que você ainda não tenha parado para pensar no assunto, com certeza conhece um deles. Um dos combustíveis de fonte renovável mais popular é o Etanol, fabricado a partir da cana-de-açúcar. 

 

Sendo assim, é correto afirmar que este tipo de combustível tem como base elementos vegetais, tais como: cana-de-açúcar, milho, mamona, entre outros. 

 

A exemplo do Etanol, também temos o Biodiesel, ambos utilizados em veículos para a geração de energia. A biomassa utilizada na fabricação do biocombustível, ainda pode ser derivada de madeira e álcool. 

 

Os profissionais do ramo costumam chamar o biocombustível de energia de fonte alternativa ou renovável. Sendo apontado como uma ótima opção para diminuir a emissão de gases poluentes na atmosfera, deste modo, acentuando o efeito estufa. 

 

Vale lembrar que, a produção destas fontes renováveis necessita de uma empresa especializada em licenciamento ambiental.

 

Obviamente, este tipo de combustível é benéfico para o planeta e os especialistas recomendam que seja feita a substituição dos combustíveis derivados de fósseis (petróleo), por este. 

 

No entanto, além de favorecer o ecossistema, o biocombustível é uma ótima opção porque os combustíveis derivados do petróleo não vão durar para sempre. 

 

Além de não ser uma fonte de energia renovável, o petróleo tem prazo para acabar, há quem diga que até 2070 não haverá mais desta fonte não-renovável de energia. Por isso, alternativas como esta, são sempre bem-vindas. 

 

Para os especialistas, o Brasil não sai perdendo em nada quando se trata de fontes de energia renovável. Visto que, já somos ávidos produtores de cana-de-açúcar e de diversos outros vegetais que podem ser usados na produção deste combustível. 

 

Porém, não podemos nos esquecer da importância de uma análise de risco ambiental, já que a produção destes combustíveis envolve plantações.

Principais características do biocombustível

Para facilitar o entendimento sobre o tema, podemos dizer que o biocombustível conta com algumas características únicas. Entre as quais podemos citar, principalmente, as seguintes:

 

  • Variedade: é uma alternativa para o combustível advindo do petróleo;  
  • Emprego: aumento na taxa de vagas na cadeia produtiva;
  • Baixa emissão de CO2 na atmosfera: não produz gases;
  • Redução do aquecimento global, se comparado a outras fontes;
  • Redução dos riscos do aquecimento global: devido ao menor índice de poluição. 

 

Pois bem, para deixar tudo ainda mais simples, que tal falar um pouco sobre as vantagens e as desvantagens dos biocombustíveis? Siga a leitura e entenda melhor e mais sobre todo esse universo.

Vantagens do biocombustível

O primeiro ponto a favor dos biocombustíveis é que eles não produzem gases que agravam o efeito estufa, ou seja, é melhor para a qualidade do ar que respiramos e para a saúde do planeta. 

 

Outro ponto positivo, está relacionado ao fato de serem uma ótima alternativa para os combustíveis advindos do petróleo, que além de não ser de fonte renovável, ainda colabora para o aquecimento global. 

 

Ademais, existem várias opções de fontes para a produção dos biocombustíveis. Além da cana-de-açúcar e do milho, alguns óleos vegetais também podem ser utilizados em sua produção. Sendo assim, diversos países podem produzi-lo.

 

Fora os pontos citados, ele gera empregos, ou seja, é preciso de mão de obra de diversos ramos em sua produção. Por fim, nosso país tem diversas opções para utilizar na produção e pode ser um dos gigantes na exportação. 

Desvantagens do biocombustível

Podemos começar falando sobre o alto nível de consumo de água, o que é muito preocupante, por isso, um estudo de impacto ambiental é indispensável no momento da adequação e do uso dessa fonte.

 

Ademais, ele produz outros gases que podem ser causadores do efeito estufa, tal como, o Dióxido de Enxofre e o Fósforo P4. Fora que pode elevar o preço dos alimentos por conta da competitividade no mercado;

 

É possível falar também que ele aumenta o desmatamento para abrir espaço para plantações de possíveis fontes renováveis. No entanto, uma avaliação ambiental preliminar pode apontar caminhos alternativos. 

 

Por fim, pode causar chuvas ácidas, que são chuvas com níveis elevados de ácido nitroso, sulfúrico ou nítrico. 

Principais tipos de biocombustível

Olhando por esta perspectiva, podemos perceber que ainda há um longo caminho a ser percorrido em busca do combustível que traga menos danos e efeitos colaterais. Porém, especialistas ainda apostam no biocombustível como alternativa viável. 

 

Inclusive, pensando nisso, separamos alguns dos tipos existentes:

1 – Etanol

Muito popular no Brasil, este combustível também é conhecido como álcool etílico. Pode ser produzido através de algumas opções de fontes renováveis, bem como: cana-de-açúcar, milho, soja, beterraba, coco babaçu e até batatas. 

2 – Metanol

Ainda dentro dos combustíveis de fontes renováveis, está o álcool metílico, produzido através do carvão, madeira ou gás metano. Pode ser utilizado em motores que usariam gasolina, por exemplo, desde que sejam motores de porte pequeno e médio.

 

Se comparados com a gasolina, tanto o etanol quanto o metanol geram menos monóxido de carbono e hidrocarbonetos do que o combustível derivado do petróleo. Por isso, são chamados de combustíveis de queima limpa. 

 

No entanto, a produção de etanol gera mais gastos do que a fabricação de metanol. É importante ressaltar que, os resíduos da produção dos biocombustíveis devem ser descartados de maneira correta, em locais adequados. 

 

Para isso, uma empresa de gerenciamento de resíduos, pode resolver o impasse, já que a prática errônea de descarte, pode poluir rios, nascentes e córregos, o que não tem nada de sustentável.

 

Ainda, é possível utilizar os restos de vinhoto, usado na produção de etanol para transformá-lo em gás-natural. Ou seja, tudo pode ser reaproveitado. 

3 – Biodiesel

Este tipo de combustível é derivado de óleos vegetais, como o óleo de mamona, canola, algodão e girassol, entre outros. É uma boa alternativa para a substituição do gasóleo e do diesel que são derivados de fontes não renováveis. 

 

O biodiesel apresenta vantagens quando comparado com os combustíveis citados anteriormente, pois tem emissão de dióxido de carbono reduzida. Ou seja, não colabora para o efeito estufa e, consequentemente, o aquecimento global e as mudanças climáticas. 

 

Além disso, pode ser uma fonte de geração de empregos em zonas rurais mais afastadas. Este biocombustível, não apresenta forte odor e não causa irritações. Além disso, é de fácil armazenagem e seu transporte é mais seguro, devido ao ponto de fusão. 

 

Ainda, é benéfico para os motores, pois tem características lubrificantes e não é tóxico. 

4 – GLP

Também conhecido como Gás Liquefeito de petróleo, este combustível é produzido a partir de um mix de hidrocarbonetos, principalmente propano e butano. É indicado na substituição da gasolina e entrega performance semelhante ao gás natural. 

 

No entanto, é importante destacar que, o manuseio deste gás oferece mais perigo do que o manuseio do gás natural. É comumente aplicado na agricultura e indústria como combustível para as máquinas. Mas exige cuidado e atenção no trabalho. 

5 – Gás Natural

É comumente utilizado nos veículos em substituição à gasolina, por exemplo. Não apresenta toxicidade, sendo produzido através da mistura de gases leves, em sua maioria, o metano. 

 

Após sua extração, é enviado por meio de gasodutos para as Unidades de Processamento de Gás Natural. Neste local, passa por processos de retirada de frações condensáveis e frações mais pesadas, como a gasolina natural e o GLP (gás liquefeito do petróleo).

 

A segurança é uma das principais características deste combustível, quando ocorre um acidente ou vazamento, ele é rapidamente dissipado no ar por conta dos gases leves em sua composição. 

 

O que é uma grande vantagem, pois o risco de incêndios e explosões é menor, para ocorrer tal fato, seria preciso que o gás estivesse acima de 620 °C.

 

Ademais, os veículos movidos com gás natural emitem menos poluentes. O gás natural apresenta condições de reserva para 65 anos, já o petróleo apresenta uma reserva de aproximadamente 40 anos.

 

O gás natural permite que o consumidor economize até 70% em combustível, por isso, não é incomum que quando a gasolina sobe de preço, muitos motoristas optam por instalar o kit de gás natural em seus carros. 

 

Outro ponto que contribui para a diminuição dos gases tóxicos no ar é a manutenção do filtro de combustível.

 

A vida útil do motor é maior e a queima desse combustível se mostra menos agressiva para o meio ambiente. O uso de gás natural, não elimina por completo a possibilidade de usar gasolina, uma vez que o carro convertido se torna bicombustível.

6 – Hidrogênio

É considerado um combustível limpo, sua combustão emite somente vapor d’água e oxido de nitrogênio. Ademais, o hidrogênio é encontrado na atmosfera em abundância, o que o transforma em ótima opção para substituir a gasolina. 

 

A dificuldade está em estocar esse gás que demanda tanques de valor elevado para armazená-lo em sua fase líquida. Por enquanto, esse é um empecilho à sua comercialização.

Considerações finais

Como podemos perceber, existem diversas opções de substituição aos combustíveis derivados do petróleo. Todos apresentam diversas vantagens e algumas desvantagens que, com tecnologia, estudos e licenciamento ambiental SP, podem ser dribladas. 

 

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.