Portal SB24Horas

Conteúdo é aqui!

Piracicaba

Bebel vai ao Ministério Público contra corte de verbas do Hospital dos Fornecedores de Cana de Piracicaba

A deputada estadual Professora  Bebel (PT) ingressou nesta segunda-feira, 11 de janeiro, com mandado de segurança contra o corte no repasse de recursos pelo governo estadual ao Hospital dos Fornecedores de Cana de Piracicaba, em plena pandemia do coronavírus. De acordo com a deputada, o governador João Doria ataca a saúde da população paulista, com cortes de  repasses das Santas Casas e atendimento em hospitais estaduais. O valor contingenciado para o Hospital dos Fornecedores de Cana será de R$1.200.000,00 ao ano, o que deve prejudicar muito o seu atendimento, uma vez que a tabela SUS não cobre todos os gastos do hospital.

Conforme a parlamentar, ao mesmo tempo em que corta 12% dos repasses destinados a Santas Casas e Hospitais Filantrópicos, o governador João Doria começa a privar a população mais pobre do estado de São Paulo de atendimento médico também nos hospitais públicos estaduais. “Tem chegado ao meu conhecimento o fechamento de alas importantes de atendimento nesses hospitais, que quero aqui denunciar e continuarei denunciando. Mais que isso, já ingressei com representação junto ao Ministério Público Estadual nos dois casos que chegaram até mim. Uma das representações é para que não exista qualquer corte de verbas a ser repassada ao Hospital dos Cortadores de Cana de Piracicaba”, conta.

A deputada Bebel também ingressou com mandado de  segurança contra o fechamento da ala de atendimento ortopédico do Hospital Estadual Lacaz, em Francisco Morato, e contra o fechamento da ala de atendimento pediátrico do Hospital Estadual Dr. Leandro Franceschini, em Sumaré. “É preciso que toda a sociedade tome conhecimento de que este governador, enquanto faz marketing político com a vacina – produzida e testada por competentes servidores públicos do Instituto Butantan, que fez parte do SUS –Sistema Único de Saúde – destrói os serviços públicos de saúde em plena pandemia”, ressalta.