SB24Horas

Notícias na hora certa!

As igrejas mais bonitas para visitar no Brasil

O maior país da América do Sul e a maior nação falante da língua portuguesa do mundo, o Brasil continua sendo mais conhecido por sua tradição do futebol e pelo carnaval anual. A maioria dos visitantes de férias no Brasil vem pelas exuberantes praias, música, vida selvagem e bairros diversos do país, cada um com seu próprio caráter, atmosfera e estilos de vida distintos. O brasil tem também uma longa tradição religiosa.

 

Neste artigo partamos algumas das igrejas mais bonitas a visitar no Brasil e com alguns dos mais incríveis artigos religiosos como decoração.

Monastério de São Bento, Rio de Janeiro

 

O catolicismo chegou ao Brasil junto com os colonizadores de Portugal no início do século XVI. No final de 1500, monges vindos do sul de Salvador ergueram esta casa de culto com uma fachada despretensiosa que esconde seu rico interior. É um exemplo precoce da exuberância do barroco brasileiro, equipada não apenas com um altar dourado e teto pintado, mas também com candelabros de prata gigantes, cada um pesando mais de trezentos quilos.

 

 

Monastério de São Bento, Olinda

 

Enquanto muitas das capitanias fundadas por nobres portugueses faliram em meados do século 16, a região nordeste de Pernambuco floresceu graças ao crescente comércio de cana-de-açúcar. Em Olinda, uma das cidades coloniais mais bem preservadas do Brasil, este monastério dedicado a São Bento apresenta um imponente altar dourado e um sistema de assentos dividido: os ricos sentavam-se em um mezanino, os homens comuns sentavam-se no chão e os escravos ficavam do lado de fora.

 

Igreja e Convento de São Francisco, Salvador

 

Os frades franciscanos estabeleceram um convento e uma igreja em Salvador, a primeira capital do Brasil colonial, logo após a chegada dos portugueses. Destruída durante as guerras com os holandeses, São Francisco foi reconstruída no século XVIII com um interior extremamente barroco. Além dos hectares de ouro, que cobrem desde tetos e abóbadas até as colunas sinuosas em formato de saca-rolhas, a igreja contém azulejos portugueses importados que retratam a vida de São Francisco de Assis.

 

 

Nossa Senhora do Rosário e São Benedito, Paraty

 

A riqueza do Brasil colonial, expressa na arquitetura da igreja, era inseparável da escravização dos brasileiros nativos e dos africanos trazidos para o Novo Mundo. Em Paraty, uma antiga cidade a oeste do Rio de Janeiro, os escravos construíram as notáveis igrejas barrocas da cidade, mas também construíram suas próprias casas de culto, como esta, cujo exterior austero não dá indícios dos ricos altares policromados em seu interior.

 

 

Igreja do Nosso Senhor do Bonfim, Salvador

 

O Brasil é o maior país católico do mundo, mas as crenças cristãs frequentemente se fundiram com tradições nativas e africanas em fés sincréticas únicas. Mesmo em Nosso Senhor do Bonfim, a igreja católica mais importante do estado da Bahia, a cerimônia mais importante da congregação é um ritual de limpeza das escadas da igreja que venera tanto Jesus Cristo quanto Oxalá, o deus criador da fé do Candomblé.

 

Igreja de São Francisco de Assis, Ouro Preto

 

Erguendo-se sobre a antiga cidade da corrida do ouro no coração de Minas Gerais, esta igreja rococó do final do século XVIII é a obra-prima de Aleijadinho, um dos artistas mais fascinantes do Brasil. Afligido por uma grave deficiência, ele esculpiu esculturas e fachadas arquitetônicas com um cinzel e um martelo presos às suas mãos sem dedos. Acima da entrada florida, Aleijadinho retrata São Francisco de joelhos, recebendo os estigmas.

 

Santuário de Bom Jesus de Matosinhos, Congonhas

 

Outro importante local de adoração em Minas Gerais, este complexo de edifícios religiosos apresenta um grande ciclo de esculturas em pedra-sabão feitas pelo Aleijadinho, representando 12 profetas do Antigo Testamento em uma policromia vibrante. Os paroquianos chegam à igreja por um caminho em ziguezague que passa por pavilhões menores.