Artigo: O comércio exterior como combate à crise – por Renan Rossi Diéz


Dezenas de adjetivos podem qualificar e descrever o mundo dos negócios. Sabemos que ele é dinâmico, competitivo, complexo e está sempre suscetível a eventuais crises políticas, econômicas e até mesmo sociais. O mais importante nos períodos de crise é manter o foco e se destacar através de alternativas que alavanquem seu negócio diante dos demais concorrentes.

 

O comércio internacional pode ser um diferencial fundamental para este destaque que o mercado exige. Muito embora muitos empresários acreditem que em períodos de crise o comércio exterior seja enfraquecido, é importante ressaltar que as análises realizadas são baseadas em panoramas gerais, ou seja, é evidente que muitos setores da economia podem se beneficiar nestes períodos através da força do mercado internacional.

 

Muitos empresários, aproveitando-se do câmbio atual, com a alta significativa do dólar em relação ao real, estão se apoiando nas exportações para garantir um lucro maior em suas operações. É natural que estas exportações não se iniciaram na crise. A exportação é fruto de um projeto de dedicação e empenho por parte da empresa. Empresários que acreditam que o mercado nacional cumpre as necessidades de sua empresa podem ser surpreendidos em momentos de crise, enquanto que àqueles que já previam tal situação, podem se apoiar no comércio exterior para garantir a saúde financeira da empresa.

 

Na importação não é diferente. Infelizmente, em períodos de crises econômicas é bastante comum a diminuição do quadro de funcionários da empresa e, diante do custo nacional de produção inflacionado em períodos de crise, recorrer a importações para atendimento da demanda é uma alternativa viável para que sua empresa não pare.

 

É possível observar também, que em tempos de crise, normalmente, o governo possui programas de amparo ao empresário e, na questão do comércio exterior, podemos destacar os créditos destinados a exportações, através do BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social), além de programas de financiamento à importações, por meio de linhas de crédito captadas no exterior aos importadores por um prazo negociado com o banco. Outros programas e tipos de financiamento a importação e exportação também serão abordados e apresentados em um artigo destinado exclusivamente a este assunto.

 

Diante de todo o exposto, podemos concluir que uma das principais características do mercado atual é a sua globalização. Os empresários brasileiros estão cada vez mais próximos de mercados estrangeiros. A busca empresarial pelo fortalecimento econômico fica mais curta através do comércio exterior. Esteja preparado, planeje a internacionalização de sua empresa e seja destaque no seu setor de atuação.

 

Renan Rossi Diéz é diretor na Intervip Comércio Exterior Ltda e aluno do Programa de Desenvolvimento Executivo da IBE-FGV.

Comentários

Notícias relacionadas