Arte de negociar é talento de poucos, mas as empresas estão de olho neles

Por Viviane Gonzalez

viviane_gonzalez_business_partners

É inegável. As pessoas negociam o tempo todo e não apenas no ambiente de trabalho. Preços, horários, limites, mudanças, contratos, funções, associações, para citar alguns, são negócios diariamente. Dizem que o brasileiro é bom negociador, baseados no conceito de que sempre quer sair ganhando.

Porém segundo os especialistas, para o sucesso profissional, a arte de negociar é fundamental. Quem tem, precisa estar em constante aprimoramento. Mas, quem não tem, também não precisa se desesperar, é necessário investir no desenvolvimento desta competência, o mais rápido possível.

 

Para Viviane Gonzalez, especialista na área de Recursos Humanos e diretora da Business Partners Consulting Interior São Paulo, o bom negociador facilita a vida da equipe e da empresa. Não é à toa que as organizações estão caçando esses talentos. “Porque eles são mais lucrativos, perdem menos tempo e ganham no quesito eficiência e eficácia, pois sabem conquistar os objetivos mais rapidamente usando sua habilidade na negociação”, destaca.

O número de negociações internas em uma empresa é incontável. “Mais do que números, hoje em dia as pessoas precisam saber negociar posições frente às planilhas e as decisões estratégicas a serem tomadas. E daí vem o desgate maior de energia e tempo, pois envolve pessoas, conceitos e culturas”.

Viviane, contudo, explica que é nesse ambiente que os negociadores se sobressaem. “Quando é um dom, eles despontam muito cedo já na escola, e com o passar do tempo se aprimoram nas experiências da vida. E quando são preparados por cursos ou treinamentos, eles aproveitam para surpreender”, conta.

A especialista ressalta que a arte envolve um exercício diário. “É necessário ouvir, entender, argumentar e, se preciso, até ceder, para depois conquistar mais e melhor”.

Ela exemplifica que na própria carreira investe quase todo o seu tempo em negociações. “Cada pessoa com suas qualidades, temperamento e personalidade exigem uma estratégia distinta. O negociador precisa estar atento à sua volta para discernir com amplitude qual o melhor caminho para obter o melhor resultado para ele e para a empresa perante a situação que se apresenta”, revela.

Por fim, Viviane faz uma observação. “Negociar não é tão simples quanto parece. Está longe de ser falar ou simplesmente comunicar. É, antes, saber o objetivo a ser alcançado, encontrar o melhor meio para fazê-lo, comunicar de forma clara e se fazer ser comprendido, sem ruídos”, finalizou.

 

Veja como começar bem uma negociação

Ouvir e compreender

Encontrar o melhor caminho para alcançar seu objetivo

Descobrir qual a melhor fonte receptora/pessoa para negociar

Falar somente o necessário e na hora certa

 

Comentários

Notícias relacionadas

Deixe uma resposta