SB24Horas

Notícia na hora certa!

Argentina reabre suas fronteiras para todo o mundo

Em primeiro de novembro passado, o governo da Argentina reabriu as fronteiras do país aos visitantes de todo o mundo, após ultrapassar 50 por cento da população imunizada com pelo menos uma dose de alguma vacina contra Covid-19 e constatar a diminuição sustentada das infecções pelo coronavírus.

O ministro dos Transportes, Alexis Guerrera, destacou que a Argentina está dentro de uma boa situação epidemiológica e que o país é seguro para o turismo receptivo, após a entrada proibida de visitantes por 19 meses devido à pandemia do coronavírus.

A medida terá um impacto positivo na reativação econômica.  “Hoje as fronteiras aéreas, marítimas e fluviais estão normalmente abertas. Estamos voltando ao normal. Há muito tempo que buscávamos que a Argentina pudesse retomar uma indústria tão importante como o turismo”, disse Guerrera em nota.

Regras de acesso para visitantes com destino à Argentina

Desde o início de outubro, turistas de nações vizinhas já tinha acesso ao país em função da melhora da situação epidemiológica e do andamento da campanha de vacinação e, finalmente em novembro, a medida se estendeu ao resto do mundo.

Segundo dados do Ministério da Saúde, mais de 36,9 milhões de argentinos receberam uma dose de alguma vacina anticovid e 30,2 milhões as duas doses, de uma população total de 45 milhões de habitantes no país. Os totalmente imunizados somam 66%.

Para a etapa de reabertura da Argentina para todo o mundo, as autoridades exigem que os visitantes tenham esquema de vacinação completo, comprovem teste PCR negativo 72 horas antes da chegada em solo argentino, realizem outro PCR após cinco ou sete dias de estadia no país e tenham seguro saúde com cobertura Covid-19.

Os visitantes devem utilizar o aplicativo Covid-19-Ministério da Saúde em sua versão para dispositivos móveis, ou na versão Web, por um período mínimo de 14 dias, de acordo com o Ministério do Interior.

No caso de adultos com crianças que não cumpriram o esquema de vacinação, os menores podem entrar no país, mas deve fazer a quarentena correspondente. O procedimento para quem visita solo argentino concebe também que, em caso de contágio, o turista deve cumprir o isolamento nos locais criados para este fim pelas autoridades.

Por fim, o Ministério da Saúde da Argentina informou que vai oferecer aos turistas menores de 18 anos a possibilidade de se vacinarem no país.

Cenário epidemiológico atual

Atualmente, a maior preocupação do governo argentino é com o avanço da variante ômicron do coronavírus, identificada inicialmente em países do sul do continente africano e que já está presente em diversos países.

Felizmente para a Argentina e para o mundo, essa variante, embora pareça ser altamente transmissível, não provocou nenhuma morte, segundo a Organização Mundial da Saúde. Os sintomas também não são considerados tão graves como os provocados pela variante delta.

Mesmo assim, a primeira reação da Argentina à ômicron foi o fechamento das fronteiras para passageiros vindos de países da África. Os voos diretos desse continente ainda continuam suspensos – não chegaram a ser retomados depois da quarentena iniciada em março de 2020. Além disso, as pessoas procedentes da África que chegam após escalas em terceiros países, têm que cumprir duas semanas de quarentena.

Criação do passe sanitário e de mobilidade na Argentina

A nova cepa Ômicron avivou um debate que estava adormecido na Argentina. As autoridades sanitárias anunciaram neste início de dezembro que estão estudando a criação de um “passe sanitário” que será concedido a todos os argentinos imunizados com duas doses da vacina anticovid.

O passe será necessário para a participação em grandes eventos, seja em ambiente fechado ou ao ar livre, e não será obrigatório para deslocamento em transportes públicos ou para o trabalho, por exemplo. A intenção é vacinar os 20% da população que ainda não recebeu nenhuma dose, não por falta de vacinas, mas por questões ideológicas.

Número de casos Covid-19 na Argentina em 04/12/2021, de acordo com dados do Ministério da Saúde da Nação:

Casos confirmados nas últimas 24 horas: 1.690

Total de casos: 5.339.382 casos

Falecidos nas últimas 24 horas: 04

Total mortes desde o início da pandemia: 116.643

Porcentagem de ocupação total de leitos de UTI para adultos, em 04/12/2021:

Nação: 35,2%

AMBA (Área Metropolitana de Buenos Aires): 40%.