Portal SB24Horas

Conteúdo é aqui!

Após receber servidores do DAE, vereadores questionam critérios para concessão de gratificações


Os vereadores Carlos Fontes (PSD), Emerson Luis Grippe – o Bebeto (SD), Giovanni Bonfim (PDT) e Wilson de Araújo Rocha – o Wilson da Engenharia (PSDB) receberam, ontem (25), no Plenário Dr. Tancredo Neves, um grupo com mais de 40 servidores do DAE (Departamento de Água e Esgoto) de Santa Bárbara d’Oeste. Na reunião com os parlamentares, os funcionários da autarquia criticaram os critérios para a nomeação em funções gratificadas e questionaram a Lei Complementar 185/2014, que criou os adicionais de função. O grupo relata que os servidores que ocupam os cargos de motorista, operador de máquina, operador de comboio, operador de ETA (Estação de Tratamento de Água) e de ETE (Estação de Tratamento de Esgoto) não têm recebido os mesmos benefícios do que os funcionários de outras carreiras.

“Diferentes servidores relataram que os critérios para nomeação não estão sendo muito claros e que essa situação tem gerado desmotivação, além de desavenças entre os próprios colegas”, afirmou Carlos Fontes. O vereador Wilson da Engenharia relatou, ainda, que também foram citados casos em que servidores aprovados para atuar em uma determinada área estão sendo nomeados para a chefia de setores nos quais nunca haviam atuado. “Ouvimos casos de que um mecânico, por exemplo, está como chefe do setor de água, enquanto um encanador chefia os mecânicos”, explicou Wilson.

Durante a reunião desta noite, os vereadores decidiram formar uma comissão com cinco servidores do DAE, que representarão os demais em novos encontros, inclusive com a direção da autarquia. Os vereadores também pretendem apresentar um requerimento de informações, por meio do qual devem questionar o nome, a função de origem, o nível de escolaridade e a função gratificada para qual cada servidor foi nomeado, assim como o período de nomeação de cada um dos funcionários que recebem algum tipo de adicional. Os parlamentares cogitam, ainda, analisar a lei atual e sugerir emendas, caso a Administração Municipal não esclareça os critérios para a gratificação e o motivo de grande parte dos servidores não estar sendo beneficiada.

Outra reclamação dos funcionários do DAE é com relação aos recentes cortes nos plantões de finais de semana, que geravam horas extras. “Além da perda de remuneração, esses trabalhadores relatam que estão sendo obrigados a trabalhar mais em menos tempo, cobrindo áreas que seriam de outras equipes. Futuramente, essa situação pode gerar prejuízos, inclusive, para os consumidores”, explicou Bebeto. Essa situação também será questionada pelos parlamentares.

Comentários

Dennis Moraes